Publicidade

Estado de Minas VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Mãe usa sinal vermelho na mão para denunciar agressor e salvar filha de abusos

Agressor foi preso em flagrante e vítima receberá acompanhamento especializado de equipe multidisciplinar


05/08/2020 17:00 - atualizado 05/08/2020 17:16

Atendentes de farmácia são orientados a denunciar à polícia, via 190, e orientar vítimas(foto: Divulgação/CNJ)
Atendentes de farmácia são orientados a denunciar à polícia, via 190, e orientar vítimas (foto: Divulgação/CNJ)
A campanha Sinal Vermelho, lançada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para facilitar denúncias de violência doméstica durante a pandemia, pode ter salvado a vida de uma adolescente de 14 anos em Santarém, no Pará. É que a mãe da jovem usou o X na palma da mão para denunciar que a filha vinha sofrendo maus tratos.
 
Ao entrar em uma farmácia da cidade, a mulher mostrou a palma da mão com o sinal vermelho para um atendente que acionou a Polícia Militar pelo 190. A denunciante foi encaminhada para o atendimento prioritário nos serviços de atendimento judiciário e contou que a filha tinha um relacionamento com um homem de 22 anos e tinha se tornado vítima de agressões verbais e físicas em casa.
 
Após a denúncia, policiais foram até a residência do casal, mas não encontraram ninguém. Depois, seguiram para o trabalho do suspeito, onde o localizaram. A garota também estava no local e confirmou as agressões.
 
O delegado do caso determinou a prisão em flagrante do agressor, com manifestação favorável do Ministério Público do Estado, e estabeleceu fiança de um salário mínimo, além de medidas protetivas para a vítima. As medidas foram homologadas pela juíza titular da Vara de Violência Doméstica de Santarém, Carolina Maia.

A magistrada também determinou que, no prazo de 72 horas após a soltura do homem, a equipe multidisciplinar da Vara faça o acolhimento e o monitoramento da situação da vítima, por telefone ou meio eletrônico, e gere um relatório informativo. Não sendo possível o contato virtual, a juíza definiu que a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) seja notificada e realize o acompanhamento da vítima, preferencialmente no endereço residencial cadastrado quando da denúncia.
 
Segundo o Tribunal de Justiça do Pará, esse é o primeiro registro de uso da campanha na região.

Como denunciar

Lançada em meados de junho deste ano pelo CNJ, a campanha do Sinal Vermelho busca facilitar a identificação de situações de abuso e violência doméstica durante a pandemia da COVID-19. Isso porque as medidas de isolamento social podem dificultar o acesso das vítimas às ferramentas de denúncia.
 
O protocolo é simples: a denunciante marca a palma de uma das mãos com um X vermelho, com caneta ou batom, e mostra a um atendente de uma das mais de 10 mil drogarias cadastradas no projeto. Esses estabelecimentos se comprometeram a treinar os atendentes para oferecer auxílio discretamente e acionar a polícia através do 190.

Veja a lista das redes participantes:

1. REDE MELHOR COMPRA
2. USIFARMA – UMA NEGOCIAÇÕES
3. MULTIFARMA
4. A NOSSA DROGARIA DE CAXIAS
5. DROGAL FARMACEUTIVA
6. DROGAL FARMACIA
7. DROGARIA VENANCIO
8. EXTRAFARMA
9. FARMA PONTE
10. FARMACIA ALPHARD
11. FARMACIA PAGUE MENOS
12. FARMACIA E DROGARIA NISSEI
13. RAIA DROGASIL
14. REDEPHARMA
15. REDE SOMA DROGARIAS
16. SANTA LUCIA DROGARIAS
17. SMALLFARMA
18. UNIVERSAL
19. DROGARIA ARAÚJO
20. RD RAIA DROGASIL
21. DPS


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade