Publicidade

Estado de Minas VIOLÊNCIA NO DF

Damares sobre pedófilo que fez 60 vítimas: 'Precisamos aprimorar a lei'

A ministra destacou o trabalho desempenhado pela polícia no Distrito Federal e afirma que o modo de apuração deve ser seguido por outras unidades


24/07/2020 20:30 - atualizado 24/07/2020 21:00

Delegada-adjunta Elizabeth Frade (E), a ministra Damares Alves (C), e o delegado-chefe Josué Ribeiro (D) (foto: Sarah Peres/CB/D.A Press)
Delegada-adjunta Elizabeth Frade (E), a ministra Damares Alves (C), e o delegado-chefe Josué Ribeiro (D) (foto: Sarah Peres/CB/D.A Press)
A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, se reuniu com os investigadores da 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro) para tratar do caso do pedófilo acusado de abusar sexualmente de 60 meninos do Distrito Federal. O suspeito, de 31 anos, foi preso em Gonçalves Dias, município do interior do Maranhão. 

Na tarde desta sexta-feira (24/7), Damares esteve com o delegado-chefe da unidade, Josué Ribeiro, e a delegada-adjunta, Elizabeth Frade. O objetivo foi acompanhar o serviço realizado pela equipe da Seção de Atendimento à Mulher da 12ª DP. “Este é um caso emblemático. São 60 vítimas de um único bandido. Quando soubemos do caso, nós viemos aqui imediatamente. O tempo entre a descoberta e a prisão do bandido foi muito rápido”, analisa. 

A ministra destaca que a apuração célere deve ser exemplo para outras unidades policiais. “Precisamos observar que este caso teve êxito porque teve uma dedicação exclusiva. Portanto, temos de pegar esse case de sucesso, torná-lo um exemplo e replicá-lo em outras delegacias”, afirma.

“Precisamos entender as fragilidades na lei nesse tipo de caso e tornar a punição mais severa. Para isso, vamos realizar uma roda de conversa com os delegados do caso e a equipe para vermos as dificuldades e sugerimos uma mudança na legislação. Isso também será avaliado com juristas. É preciso aprimorarmos a lei”, destaca Damares.

Orientação para os pais

A ministra Damares também frisa a importância de os pais estarem atentos à vida dos filhos na internet, acompanhando as interações com desconhecidos, assim como as publicações e materiais enviados para outras pessoas. “Pais, tem uma palavrinha que seus filhos usam muito, chamada ‘nude’. Cuidado com essa palavrinha. As crianças estão brincando de mandar nude e, nem sempre é um coleguinha que está do outro lado. Mas, sim, um outro adulto se passando por um amigo, como neste caso”, reitera. 

“Pelo perfil do Instagram, esse bandido fingia ser uma menina bonita, apenas para conquistar esses meninos. Ele fingia ter a mesma idade dessas crianças, que tinham entre 11 e 14 anos, mas era um adulto. Esse é o universo on-line. Ele é complicado e é, inclusive, difícil de compreender. Nós mesmos, adultos, somos vítimas de fraude. Imagine com uma criança? Então, vamos, sim, conversar com as famílias brasileiras sobre isso”, garante a ministra. 

Em nota oficial, a equipe do Instagram esclarece que os dois perfis utilizados pelo pedófilo para atrair as vítimas foram desativados na plataforma e que não tolera esse tipo de "comportamento ou o compartilhamento de conteúdo que traga exploração sexual infantil em sua plataforma". "Colaboramos com as autoridades responsáveis pelo caso desde o início das investigações.”


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade