Publicidade

Estado de Minas #VIDASNEGRASIMPORTAM

Blackout Tuesday: entenda o movimento e saiba como participar

Redes sociais são tomadas pela campanha, em protesto pela morte de George Floyd, asfixiado por um policial branco nos Estados Unidos, e do homicídio do garoto João Pedro, assassinado por policiais no Rio de Janeiro


postado em 02/06/2020 14:10 / atualizado em 02/06/2020 16:08

(foto: Reprodução/Instagram)
(foto: Reprodução/Instagram)
Na manhã desta terça-feira (02) o Instagram foi tomado por imagens pretas publicadas por artistas e anônimos. O movimento “Blackout Tuesday” (em tradução livre "terça-feira do apagão"), tem como objetivo fazer um protesto virtual. Motivada pelo homicídio de George Floyd, homem preto que foi asfixiado por um policial branco nos Estados Unidos, e pela morte dJoão Pedro, menino preto assassinado por policiais no Rio de Janeiro, a campanha teve grande adesão. 

Organizado por empresas do setor da música,o movimento começou fora do Brasil. Em pouco tempo, tomou conta das redes sociais, principalmente Instagram e Facebook.

Companhias como a Apple Music e o Spotify aderiram ao protesto virtual de forma particular. A Apple apagou todas as publicações de seu perfil no Instagram, substituindo-as pela imagem do movimento. Já o Spotify adicionou 8 minutos e 43 segundos de silêncio entre as músicas e os podcasts, em alusão o tempo em que George Floyd ficou preso ao joelho do policial Derek Chauvin, o que culminou na sua morte. A plataforma afirmou que também irá amplificar as vozes negras.

O "apagão" tem como objetivo mostrar apoio à comunidade negra do mundo, além de permitir que postagens e mensagens passadas por pessoas negras tenham mais visibilidade no feed

O movimento teve a adesão de artistas como Elton John, Cardi B, Dakota, Fanning, Zayn, Manu Gavassi, Bruno Gagliasso, Giovanna Ewbank. As publicações foram seguidas de hashtags como #BlackoutTuesday e #TheShowMustBePaused (na tradução livre: o show precisa ser pausado).

Empresas como Capitol, Warner Music Group, Interscope Records, Motown, Caroline, Kobalt, Electric Feel Management, LVRN, Universal Music Group, Ingrooves, UMPG e Pulse Music Publishing também deram espaço para a causa.

Na indústria musical brasileira, se fizeram presentes Som Livre, Warner Music Brasil, Sony Music Brasil, Ingrooves Brazil, ONErpm, UBC, Universal Music Brasil, além da Deezer Brasil.

Dia de luto e conscientização

Para o movimento, esta terça-feira foi escolhida para ser um dia de luto. Para participar, basta colocar um quadradinho preto em seu feed, apenas com a hashtag #blackouttuesday. A legenda pode conter alguma mensagem referente à causa.

A intenção é que esta seja a única postagem do usuário no dia. Pessoas também estão aderindo em outras redes sociais, como Twitter e Facebook.

Vale ressaltar a militância negra pede para que as hashtags #BlackLivesMatter, #VidasPetrasImportam e #VidasNegrasImportam não sejam usadas nos post da imagem preta, para não atrapalhar a busca por conteúdos importantes relacionados aos protestos.
 
*Estagiária sob supervisão da subeditora Kelen Cristina

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade