Publicidade

Estado de Minas AUXÍLIO EMERGENCIAL

Governo volta atrás e diz que não antecipará segunda parcela do auxílio emergencial

Motivo foi a grande quantidade de inscritos para receber o benefício


postado em 22/04/2020 22:27 / atualizado em 22/04/2020 23:28

Agência da Caixa Econômica Federal da Rua Tupinambás, Centro de BH. Trabalhadores informais e recém-desempregados fazem fila para receber auxílio emergencial e FGTS(foto: Edésio Ferreira/EM D.A Press)
Agência da Caixa Econômica Federal da Rua Tupinambás, Centro de BH. Trabalhadores informais e recém-desempregados fazem fila para receber auxílio emergencial e FGTS (foto: Edésio Ferreira/EM D.A Press)
O Ministério da Cidadania anunciou na noite desta quarta-feira que não irá antecipar pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600, benefício concedido a trabalhadores informais durante a pandemia da COVID-19. A promessa, tanto do Ministério quanto da Caixa Econômica Federal, era de que o valor estivesse disponível nesta quinta-feira (23), o que não será possível.

Segundo nota emitida pela pasta, o número de pessoas cadastradas para receber o benefício superou as previsões do governo, sendo necessário, portanto, solicitar um crédito suplementar.

O trecho da nota referente à segunda parcela do benefício diz que “tanto o Ministério da Cidadania quanto a Caixa manifestaram seu desejo de antecipar o pagamento da segunda parcela. No entanto, devido ao alto número de informais cadastrados e a determinação do governo em não deixar ninguém para trás, todas as expectativas foram superadas e tornou-se imperativo solicitar crédito suplementar para poder completar o atendimento a todos”.

Ainda segundo o anúncio do governo, “o Ministério da Cidadania produziu nesta data uma nota técnica e já solicitou ao Ministério da Economia a previsão para uma suplementação orçamentaria o mais rápido possível. Em virtude disso, por fatores legais e orçamentários, pelo alto número de requerentes que ainda estão em análise, estamos impedidos legalmente de fazer a antecipação da segunda parcela do auxílio-emergencial”.

O Ministério da Cidadania informou, ainda, que após a definição da suplementação orçamentária pelo Ministério da Economia, o atendimento da primeira parcela será completado. Só depois será anunciado o calendário de pagamento da segunda parcela do mês de maio.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade