Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS NO BRASIL

'É preciso redobrar o esforço', diz Mandetta sobre o isolamento social

Ministro da Saúde disse que o momento é de cuidar de pessoas que fazem parte do grupo de risco e negou lockdown no Brasil


postado em 01/04/2020 18:56 / atualizado em 01/04/2020 20:30

(foto: Marcelo Júnior/Agência Brasil)
(foto: Marcelo Júnior/Agência Brasil)
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, defendeu mais uma vez o isolamento social em função do coronavírus. Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (1º), Mandetta ressaltou que está tendo dificuldades para adquirir Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) com empresas chinesas e pediu maior atenção com os cuidados, sobretudo com pessoas que pertencem ao grupo de risco.
 
Mandetta divulgou detalhes das 241 mortes informadas nesta quarta. A grande maioria dos óbitos, na base de 90%, ocorreram com pessoas acima dos 60 anos. Ao todo, 127 pessoas enfrentavam problemas cardíacos, outras 84 tinham diabetes e 36 com enfermidades no pulmão.
 
Não é hora de fraquejar. Não é hora de relaxar. É hora de redobrar o cuidado. O vírus está mostrando para que veio. Precisamos proteger essas pessoas”, declarou Mandetta.
 
O ministro revelou dificuldades ao adquirir EPIs com empresas chinesas, como luvas, máscaras e equipamentos, como respiradores. Para diminuir a demanda de uso dos itens, Mandetta pediu que a população redobre o esforço com o isolamento, mas negou que o Brasil estivesse em lockdown, quando empresas em massa param de funcionar.
  
“Se você aumenta o número de casos, a taxa de letalidade cai. Hoje, o número de casos confirmados está muito menor do que aquele que está circulando dentro da nossa sociedade, o que aumenta, e muito, a necessidade de a gente ter muito mais cuidado para segurar, porque se não tivéssemos esse cuidado, provavelmente hoje teríamos espiral de casos”, disse.

"Não é lockdown que o Brasil fez. O Brasil fez uma diminuição da atividade, mas o Brasil não fez lockdown. Os essenciais estão trabalhando, mas precisamos redobrar o esforço. Se não fizermos isso, vamos ter problemas com materiais de EPI”, concluiu.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade