Publicidade

Estado de Minas GERAL

Elba Ramalho e Alceu Valença levam diversas gerações ao Ibirapuera


postado em 15/02/2020 19:50

Pessoas de diferentes gerações e fãs de Elba Ramalho e Alceu Valença se encontraram nos shows realizados no entorno do Parque do Ibirapuera neste sábado, 15. Sob árvores ou sentados no gramado, os foliões elogiaram a segurança e a tranquilidade do local. "Aqui é muito familiar e seguro, além disso, o tempo está perfeito", disse a pedagoga Luana Vital Bechara, de 33 anos, grávida de 34 semanas e que foi ao local com o marido e a filha de 1 ano e 10 meses. "É a primeira vez que ela vem e está gostando. Ela é muito festeira."

A poucos metros estava o aposentado Guilherme Ribeiro Botelho, de 67 anos, que foi ao local com um grupo de amigos que costumam curtir o carnaval de Olinda. "Em São Paulo, é a primeira vez que vejo o Alceu, mas já teve época de eu ir seis anos seguidos para Olinda."

Ao jornal O Estado de S. Paulo, Alceu Valença lembrou do crescimento exponencial do bloco, que estava apinhado de gente. "A primeira vez foi um público pequeno. Da segunda vez, quadruplicou. Depois, foi aumentando exponencialmente. Não tendo mais onde fazer, por causa da multidão, veio para o Ibirapuera", relembra o cantor, que falou com a reportagem enquanto se preparava para se deslocar para o trio elétrico.

O artista diz que o carnaval cresceu e beneficia diferentes setores. "O carnaval daqui começa de seis anos para cá e isso é muito bom para a economia criativa de São Paulo. Quem vem aqui, tem de pegar um Uber, um táxi, comer, beber."

Enquanto o desfile não começava, centenas de foliões se abrigavam do sol e descansavam antes de pular carnaval novamente - mais cedo, desfilou o bloco com Elba Ramalho no local.

"Morei 24 anos na Holanda e estou de volta há três meses. É muito especial para mim sentir essa energia e curtir o Alceu, que eu ouvia tanto quando estava lá. O dia está maravilhoso, com sol e está tudo muito organizado. Estou me sentindo bastante segura", elogiou a pedagoga Patrícia Genro Moreira, de 49 anos.

A auxiliar administrativo Amanda Siqueira, de 30 anos, descansava embaixo de uma árvore enquanto o trio não saía. "Vim por causa da Elba e do Alceu. É a minha primeira experiência e estou gostando bastante. Está bem familiar."

Show

Perto das 17 horas, o cantor Alceu Valença subiu no trio elétrico. Muito aplaudido pelo público, Valença cantou suas músicas mais famosas, como Anunciação, Girassol e Morena Tropicana, acompanhado pelos foliões, que também gravavam vídeos e postavam imagens nas redes sociais.

Os dois sentidos da Avenida Pedro Álvares Cabral estavam tomados pela multidão e era quase impossível se movimentar na área mais próxima do trio.

Mais distante, era possível ver o público dançando e até fazendo passos de frevo - clássicos do carnaval pernambucano fazem parte do repertório.


Publicidade