Publicidade

Estado de Minas

Menina de 8 anos fica à beira da morte por brincar com slime

Thamires Ximenes, mãe da garota, fez um relato emocionante em suas redes sociais


postado em 23/10/2019 15:03 / atualizado em 23/10/2019 15:40

(foto: Reprodução/Instagram)
(foto: Reprodução/Instagram)
A mania entre as crianças da nova geração, é a “gelecaslime. Principal brincadeira entre elas, o slime é muitas vezes produzido em casa, pelas próprias crianças em forma de brincadeira. Porém, este passatempo acaba resultando em alguns acidentes.

Na última terça-feira, a digital influencer Thamires Ximenes divulgou uma série de fotos de sua filha, Laysa, de 8 anos, no hospital. A menina foi internada após sofrer dermatite atópica e insuficiência renal, causada por intoxicação ao brincar de slime. 

Ver esta publicação no Instagram

ALERTA AOS PAIS! %uD83C%uDD98 Uma brincadeira comum entre crianças, que para muitos parece inofensiva, se tornou motivo de muita dor e angústia para nossa família, o #SLIME. Desde quando sua fabricação caseira virou febre, a laysla, passou a %u201Cfabricar%u201D slime com muita frequência e há muito tempo vem reclamando de dores na barriga. Os médicos sempre tratavam como virose ou constipação. Depois apareceram muitas machas na pele e os médicos diagnosticaram como dermatite atópica. Na semana retrasada as dores aumentaram muito e corremos para emergência com ela gritando desesperada de dor! No hospital, logo no primeiro exame de sangue, ela foi diagnosticada com insuficiência renal e internada às pressas na UTI! No atendimento com nefrologista, fomos informados que ela estava com menos de 40% da função renal! Nesse momento as lágrimas e o desespero tomaram conta de todos, acrescida de uma enorme angústia pois, ela passou por exames de raio X, ultrassonografia, ecografia, tomografia e para nossa surpresa, tudo estava normal com os rins e demais órgãos. Exames de sangue e urina tiveram que ser feitos com urgência em São Paulo e nenhum explicava a diminuição da função renal, os rins dela estavam parando de funcionar! Foram longos 3 dias de UTI, e somente analgesia com morfina passava as dores dela. Enfim a primeira notícia boa: os rins começaram a reagir, recebeu alta e ficou em observação internada no quarto. Foram mais 4 dias de internação, com uma investigação exaustiva de pediatras, gastros e nefrologistas e ninguém conseguia fechar um diagnóstico. Tudo apontava para necessidade de minha filha fazer biópsia do rim e diálise! No 7º dia de internação, recém chegado os exames e novos diagnósticos de SP os rins já reagindo bem, enfim conseguimos entender o motivo de tudo: INTOXICAÇÃO POR ÁCIDO BÓRICO(uso manual com água boricada)! %uD83D%uDE31 no tal do %u201CATIVADOR%u201D do slime caseiro (bórax, talco ou água boricada) contém esse composto químico tóxico. Sempre achamos que nunca vai acontecer com a gente! Só quem é pai e mãe entende desespero que é, ver seu filho gritando de dor e sentir na pele a impotência de não poder fazer nada, apenas orar e pedir a Deus que acabe logo com aquilo tudo.

Uma publicação partilhada por Thamires Ximenes (@ximenesthamires) a



“Uma brincadeira comum entre crianças, que para muitos parece inofensiva, se tornou motivo de muita dor e angústia para nossa família”, escreveu Thamires em suas redes. “Desde quando sua fabricação caseira virou febre, a Laysa passou a “fabricar” slime com muita frequência e há muito tempo vem reclamando de dores na barriga”, finalizou.

Thamires diz que o diagnóstico foi díficil de ser feito. “Os médicos sempre tratavam como virose ou constipação”, afirmou. Foi apenas no sétimo dia de internação de Laysa que a confirmação veio: a menina foi intoxicada por ácido bórico. "No sétimo dia de internação, os exames e novos diagnósticos de SP chegaram e os rins já estão reagindo bem. Enfim, conseguimos entender o motivo de tudo: intoxicação por ácido bórico (uso manual com água boricada) no tal do “ativador” do slime caseiro (bórax, talco ou água boricada) contém esse composto químico tóxico”, escreveu.

Este não foi o primeiro caso de intoxicação por slime. Uma criança de 13 anos foi internada em São Paulo e ficou no hospital por uma semana, após manusear o brinquedo. 

Intoxicação por slime


Um dos ingredientes usados pelas crianças para a fabricação do slime é o bórax. Essa substância contém ácido bórico em sua composição e pode causar inchaço, vermelhidão e até queimaduras no contato com a pele.

Se ele for ingerido ou inalado em grandes quantidades, o bórax pode provocar ainda dor abdominal, náuseas, vômito e até hemorragia interna. O contato constante com as mãos pode levar a dermatites e desgaste das digitais, com potencial de provocar lesões.


* A estágiaria está sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 












Publicidade