Publicidade

Estado de Minas

Funcionária do MEC, a advogada Letícia Sousa é encontrada morta

A jovem estava desaparecida desde a manhã de sexta-feira (23/8), quando saiu para trabalhar. Um cozinheiro está preso suspeito de envolvimento no crime. Ele nega


postado em 26/08/2019 15:56 / atualizado em 26/08/2019 16:41

(foto: Reprodução/Instagram)
(foto: Reprodução/Instagram)

A advogada Letícia Sousa Curado Melo, 26 anos, está morta. O corpo dela foi encontrado na tarde desta segunda (26/8). Ela estava desaparecida desde a manhã de sexta-feira (23/8), quando saiu para trabalhar, por volta das 7h30, do Arapoanga, onde vivia com o filho de 3 anos e o marido. A notícia foi confirmada ao Correio pelo marido dela.

Por volta de 15h30, o pai e o marido de Letícia chegaram chorando na 31ª Delegacia de Polícia (Planaltina), escoltados por policiais. Quando a reportagem se aproximou, eles pediram "agora não, gente. Agora não". O irmão chegou em seguida, também desesperado. Do lado de fora da unidade policial é possível ouvir os gritos. Menos de 10 minutos depois, uma equipe de investigadores deixou a delegacia com fita zebrada, a mesma usada para isolar locais de crime.



A polícia prendeu um cozinheiro de 41 anos, apontado como suspeito de envolvimento no sumiço de Letícia. Segundo os investigadores, imagens de segurança mostram o momento em que a jovem entrou no carro dele. Dentro do veículo, foram encontrados uma bolsa, um relógio e objetos escolares. A família confimou que os itens pertencem à jovem, segundo o delegado-chefe da 31ª Delegacia de Polícia de Planaltina, Fabrício Augusto Machado.

 

À polícia, no entanto, o homem nega que tenha praticado o crime. Aos jornalistas que estavam na delegacia, ele disse ter confiança de que tudo será esclarecido. Segundo os investigadores, o cozinheiro não tem antecedentes criminais. É casado e pai de uma adolescente de 16 anos. Comoção O desaparecimento de Letícia mobilizou o Distrito Federal.


Publicidade