Publicidade

Estado de Minas

Rodoviária de Brasília corre risco de desabar e afeta trânsito da cidade

Técnicos do governo vinham fazendo um acompanhamento dos problemas estruturais da Rodoviária e, nos últimos dias, identificaram um agravamento do problema


postado em 26/06/2019 23:05

Com fluxo de 700 mil pessoas por dia, a Rodoviária é uma das edificações de maior complexidade arquitetônica da capital federal(foto: Minervino Junior/Correio Braziliense)
Com fluxo de 700 mil pessoas por dia, a Rodoviária é uma das edificações de maior complexidade arquitetônica da capital federal (foto: Minervino Junior/Correio Braziliense)
Com fissuras estruturais em expansão rápida, a Rodoviária de Brasília corre risco grave de desabamento. Para evitar acidentes e mortes, o governo decidiu interditar completamente o trânsito em uma das vias da plataforma superior da Rodoviária. A partir da tarde desta quarta-feira (26), nenhum carro pôde circular no sentido norte-sul, entre o Conjunto Nacional e o Conic. No sentido sul-norte, o tráfego será proibido para veículos pesados.
 
Técnicos do governo vinham fazendo um acompanhamento dos problemas estruturais da Rodoviária e, nos últimos dias, identificaram um agravamento do problema. Fissuras de 0,5cm triplicaram de tamanho. “Temos um laudo indicando que, se as fissuras chegassem a 0,7cm, haveria um grande risco de desmoronamento. Para preservar a população, vamos interditar um dos trechos imediatamente”, explicou Ibaneis Rocha. O governador e técnicos do governo vão detalhar o problema logo mais, em uma entrevista coletiva.
 
O laudo elaborado por técnicos da Novacap indica que “foram identificados na laje de cobertura da plataforma inferior o rompimento de cabos de protensão de longarinas por corrosão, movimentação anormal com abertura de frestas em vigas de encabeçamento do caixão perdido da plataforma superior, problemas de infiltração, problemas com estrutura do reservatório de incêndio, corrosão nos guarda-corpos dos viadutos, fissuras de vigas e lajes”.
 
Ainda de acordo com o levantamento, “as fissuras estruturais são as de maior relevância e podem trazer maior risco à segurança estrutural da rodoviária, inclusive risco de colapso estrutural e desabamento, exigindo ações imediatas”.
 
Com fluxo de 700 mil pessoas por dia, a Rodoviária é uma das edificações de maior complexidade arquitetônica da capital federal. O terminal central de Brasilia é um complexo de viadutos de grandes vãos e, por conta da movimentação intensa de pessoas, ações preventivas e corretivas geram grandes transtornos à operação.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade