Publicidade

Estado de Minas

Golpe da multa: estelionatários prometem retirar débitos de veículos

Criminosos se passam por diretores do Detran-DF e negociam dinheiro para limpar multa de veículos, mas tudo não se passa de uma fraude


postado em 19/06/2019 08:21

Estelionatários se passam por servidores do Detran e prometem retirar multas de carros(foto: Reprodução)
Estelionatários se passam por servidores do Detran e prometem retirar multas de carros (foto: Reprodução)
A Polícia Civil investiga a ação de golpistas que prometem retirar multas de veículos se passando por servidores do Departamento de Trânsito (Detran-DF). O esquema funciona pelo menos desde 2017. Os estelionatários adquirem chips de telefonia móvel, cadastram o número utilizando CPFs de outras pessoas, inclusive de fora do Distrito Federal, e disparam mensagens em aplicativos de mensagem se passando por diretores e agentes do órgão.

No primeiro texto, encaminhado para números de celulares aleatórios, os golpistas informam ter retirado as multas do veículo e outras pendências. Também repassam o valor cobrado pelo falso serviço. Por fim, como forma de persuasão, alegam ter enviado a mensagem de forma equivocada. Tudo é feito utilizando a foto de um servidor com alto cargo no Detran e o nome dele. Até mesmo o ex-diretor-geral do órgão, Silvain Fonseca, foi vítima do esquema.

Quando o internauta que recebe a mensagem se manifesta com interesse, o golpista começa a negociação. Primeiro, ele pede a placa e o Renavam do veículo para consultar as pendências — o acesso pode ser feito pelo próprio site do Detran por qualquer pessoa que tenha essas informações. No entanto, os estelionatários passam a impressão de que os dados surgiram de dentro do órgão.

Depois, o suspeito informa a quantidade de débitos e o valor para a retirada de todos eles, mas exige metade do pagamento à vista, antes da falsa operação. Quando o motorista interessado efetua a transferência on-line, o golpista desaparece

Dificuldade para identificar golpistas 


Segundo o porta-voz do Detran, Glauber Peixoto, motoristas que se sentiram lesados chegaram a ir a postos de atendimento procurar o suposto servidor que havia prometido a retirada das multas. "Já tiveram funcionários que passaram por esse constrangimento. Geralmente os estelionatários utilizam dados de diretores, chefes de policiamento e supervisores de depósito", explicou.

Glauber também já foi uma das vítimas. Ele esclarece que uma das dificuldades é conseguir identificar o golpista. "Como eles cadastram os chips de telefonia utilizando CPFs de outras pessoas, os dados não correspondem às informações do estelionatário", esclareceu. 

Além da promessa de retirada de multa, os golpistas agem prometendo veículos com preços mais baixos do que o de leilão organizado formalmente pelo Detran.

Atuação organizada

Na tentativa de demonstrar que a promessa de apagar as multas é cumprida, os golpistas repassam aos interessados cópias de mensagens trocadas com outras pessoas. Mas, na verdade, são comparsas do mesmo esquema que agradecem pelo falso serviço executado. Esses prints são compartilhados com os motoristas que estão em fase de negociação.

O Detran comunicou o caso à Polícia Civil. Inicialmente as ocorrências foram registradas na 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte) e na 5ª Delegacia de Polícia (Área Central). Agora, a investigação do caso está a cargo da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernáticos (DRCC).

Titular da unidade, o delegado Giancarlos Zuliani Júnior explicou que a investigação está em fase avançada e, para não prejudicar os trabalhos, não comentará o caso por enquanto. 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade