Publicidade

Estado de Minas

PF aponta inconsistências na atuação de policiais no caso Marielle

Relatório foi encaminhado à PGR, que decidirá se apresenta denúncia contra policiais estaduais e um delegado da PF por atrapalhar as investigações


postado em 23/05/2019 09:22 / atualizado em 23/05/2019 10:39

(foto: Wikipedia)
(foto: Wikipedia)

A Polícia Federal concluiu e já enviou à Procuradoria-Geral da República (PGR) o relatório sobre a conduta de policiais estaduais do Rio de Janeiro e de um delegado da própria PF na investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

A informação foi publicada pela colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, e confirmada pelo Correio junto a fontes da PF. O documento tem mais de 800 páginas e aponta diversas inconsistências na forma como os policiais atuaram no caso. Há suspeita de que os agentes públicos agem para atrapalhar as investigações. O documento ajudará a PGR a decidir se apresenta denúncia contra os citados.

Suspeitos presos

Geral
Em março deste ano, o policial militar reformado Ronnie Lessa e o ex-PM Élcio de Queiroz foram presos, suspeitos de serem os executores do crime. No entanto, a investigação conduzida pela Polícia Civil do Rio de Janeiro prossegue na tentativa de se apontarem os mandantes dos assassinatos — Ronnie e Élcio ficaram calados frente ao questionamento das autoridades.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade