Publicidade

Estado de Minas

Hospital de Brasília divulga fotos de cirurgia que separou gêmeas siamesas

Cirurgia de Mel e Lis durou mais de 20 horas e foi considerada um sucesso pela equipe


postado em 29/04/2019 15:58 / atualizado em 29/04/2019 18:05

Médicos falam sobre a cirurgia e mostram moldes feitos para ajudar no procedimento(foto: Arquivo pessoal )
Médicos falam sobre a cirurgia e mostram moldes feitos para ajudar no procedimento (foto: Arquivo pessoal )


Mel e Lis. Esses são os nomes das gêmeas brasilienses que, há 11 meses, nasceram unidas pela cabeça. Os pais das meninas, Camila Neves, 25 anos, e Rodrigo Neves, 30, autorizaram, nesta segunda-feira (29/4) a divulgação do nome das crianças, que no sábado passaram por uma cirurgia bem-sucedida de separação.


Hospital da Criança/Divulgação (foto: Camila Neves, de 25 anos, e Rodrigo Aragão, de 30 anos, pais das gêmeas Mel e Lis )
Hospital da Criança/Divulgação (foto: Camila Neves, de 25 anos, e Rodrigo Aragão, de 30 anos, pais das gêmeas Mel e Lis )


A instituição também divulgou as fotos da cirurgia, que durou mais de 20 horas e contou com mais de um ano de preparação, inciada ainda no pré-natal. Nas imagens, é possível ver os pais, apreensivos, mas já esboçando felicidade pela certeza de que tudo havia dado certo; médicos concentrados em uma sala de cirurgia repleta e, por fim, os sorrisos dos membros das equipes de profissionais envolvidos em uma das mais importantes cirurgias já realizadas no Distrito Federal.

(foto: Hospital da Criança/Divulgação )
(foto: Hospital da Criança/Divulgação )


Pioneirismo no DF

Ao realizar a operação, o Hospital da Criança se tornou a primeira instituição do Distrito Federal, a terceira do país e a décima do mundo a conduzir a semparação de gêmeos unidos pelo crânio (condição conhecida como craniopagia). A cirurgia foi iniciada às 6h30 do sábado e concluída às 2h30 do domingo.

(foto: Hospital da Criança/Divulgação )
(foto: Hospital da Criança/Divulgação )


Todo o procedimento foi coordenado pelo neurocirugião de Brasília Benício Oton, que, no domingo à noite disse ao Correio que o precedimento havia sido "um sucesso". Integravam a equipe um time de mais de 50 profissionais, incluindo cinco estrangeiros (duas enfermeiras e três médicos).

(foto: Hospital da Criança/Divulgação )
(foto: Hospital da Criança/Divulgação )


Participaram também os médicos Luciano Alves Fares (anestesiologista), Ricardo de Lauro Machado Homem (cirurgião plástico) e três médicos estrangeiros, vindos dos Estados Unidos: James Goodrich (neurocirurgião), Oren Tepper (cirurgião plástico) e Carlene Broderick (anestesiologista). Os médicos estrangeiros, do Children´s Hospital at Monte Fiore, em Nova York, foram convidados a atuar como conselheiros.
 

Times rosa e amarelo 

Para que tudo saísse como planejado, o time de profissionais foi dividido em dois. Com a toucas, máscaras e luvas rosas estavam os responsáveis por cuidar de Lis. Com os equipamentos de cor amarela, os responsáveis por Mel. Todo o processo foi dividido em 36 etapas, seguidas à risca pela equipe.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade