Publicidade

Estado de Minas GERAL

Atentado de Suzano traz de volta à memória outros massacres em escolas

No Brasil, houve pelo menos dois casos trágicos, em Goiânia e no Rio de Janeiro. Nos Estados Unidos, o caso mais emblemático foi em Columbine


postado em 13/03/2019 12:20 / atualizado em 13/03/2019 12:45

Câmeras de segurança registraram os assassinos de Columbine nos corredores da escola(foto: RT.com)
Câmeras de segurança registraram os assassinos de Columbine nos corredores da escola (foto: RT.com)

O crime ocorrido na manhã desta quarta-feira (13) em Suzano, São Paulo, onde foram mortos alunos e funcionários, repete tragédias ocorridas no Brasil e no exterior. Em abril de 1999, houve um massacre em Columbine, nos Estados Unidos. E em abril de 2011, tragédia parecida se deu em Realengo, no Rio de Janeiro.

 

O adolescente de 14 anos, autor dos disparos que mataram dois estudantes e feriram outros quatro no Colégio Goyases, em Goiânia, disse, na ocasião ter se inspirado nos massacres em escolas de Columbine e de Realengo. O crime nos Estados Unidos deixou 12 alunos e um professor mortos. Já o de Realengo acabou com a morte de 12 alunos e do próprio atirador.

"Ele me disse que se inspirou em duas tragédias: Columbine e Realengo. E pensava em se vingar há aproximadamente dois meses", disse o delegado Luiz Gonzaga, da Delegacia de Polícia de Apuração de Atos Infracionais de Goiânia, unidade para onde o garoto foi levado. A motivação principal foi um garoto que o "amolava muito".

Ataque semelhante ocorreu nesta quarta-feira, 13, em Suzano, na Grande São Paulo. O alvo forma alunos da Escola Estadual Raul Brasil. Subiu para dez o número de pessoas mortas no ataque. Os dois atiradores se mataram após o ataque. Há feridos.

Rio

Palco de um dos episódios que teriam inspirado o adolescente de 14 anos a atirar contra os colegas em Goiânia, a Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, localizada na zona oeste do Rio, realiza atividades sobre a importância da paz e o combate ao bullying.
Alunos fogem em desespero durante os tiros na escola de Realengo(foto: Reprodução/Internet)
Alunos fogem em desespero durante os tiros na escola de Realengo (foto: Reprodução/Internet)


Em 7 de abril de 2011, Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, entrou no local e, com dois revólveres, matou 12 adolescentes e feriu outros 13.

Depois do caso, a Tasso da Silveira foi reformada e a entrada mudou de lado, passando para outra rua. Ganhou um moderno sistema de câmeras de segurança e hoje tem um guarda municipal permanentemente na portaria, que fica fechada. A maioria dos alunos e professores que estuda na unidade não estava lá no dia do episódio.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade