Publicidade

Estado de Minas

Temporal mata dez pessoas e alaga regiões da Grande São Paulo

Dados do Corpo de Bombeiros registram 78 ocorrências de queda de árvores, 76 desmoronamentos e desabamentos e 698 atendimentos para alagamentos


postado em 11/03/2019 11:03 / atualizado em 11/03/2019 12:34

O número de mortos no temporal que começou na noite passada em São Paulo subiu para dez. A informação foi prestada no início da tarde desta segunda-feira (11) pelo governador João Doria, em entrevista à GloboNews.


O temporal que atingiu a grande São Paulo deixou diversas regiões alagadas, bloqueando ruas e avenidas, desabamentos de casas e deslizamentos de terra. No desabamento de uma residência em Ribeirão Pires, no ABC, sete pessoas morreram e quatro ficaram feridas, segundo informação do Corpo de Bombeiros de São Paulo.

A corporação informa também sobre o deslizamento de terra que atingiu uma casa na Rua dos Cravos, em São Rafael, na zona leste da capital, soterrando três pessoas. Uma mulher e duas crianças foram retiradas dos escombros, uma das crianças em estado grave. Todos foram levados para o Posto de Saúde de Sapopemba.

Entre os mortos, quatro foram na queda de uma residência em Ribeirão Pires. O desabamento levou ao soterramento de seis pessoas, sendo que duas foram resgatadas com vida.

Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências da capital paulista, às 9h30 a cidade tinha 48 pontos de alagamento, com 27 locais em que as inundações impediam o trânsito de pessoas ou veículos. Transbordaram durante a noite pelo menos cinco rios e córrego, como o Rio Tamanduateí na região central e o Aricanduva, na zona leste.
(foto: Moisés Lourenço/Reprodução/Frame/Twitter)
(foto: Moisés Lourenço/Reprodução/Frame/Twitter)


A enxurrada alagou várias vias no bairro de Sacomã, na região sudeste da cidade. De acordo com relatos nas redes sociais, carros foram arrastados pela correnteza e alguns motoristas tiveram que ficar aguardando ajuda nos tetos dos veículos.

Na Rua Caqui, em Embu Mirim, uma casa também desabou. Quatro pessoas foram retiradas dos escombros sem ferimentos. A Via Anchieta está interditada perto da Universidade Bandeirante (Uniban). Os bombeiros relatam que a Rua Cipriano Barata, no Ipiranga, ficou alagada e um carro foi levado pela correnteza.

Os dados atualizados do Corpo de Bombeiros registram uma total de 78 ocorrências de queda de árvores, 76 desmoronamentos e desabamentos e 698 atendimentos para alagamentos. A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos informou que a circulação de trens na Linha 10 (Turquesa) está interrompida e ainda sem previsão de normalização.

O Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura de São Paulo informou que o maior volume de chuva, das 19h de ontem às 7h de hoje, foi registrado em Jabaquara, 109,5 milímetros, e na Vila Prudente, 103,3mm.
 
Por volta das 8h40, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), havia 27 pontos de alagamento na cidade de SP, sendo 15 transitáveis e 12 intrasitáveis. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) suspendeu o rodízio em toda a capital em razão do temporal.

Tempestade perdeu força


Apesar dos congestionamentos, a tempestade perdeu força e não há mais registro de precipitações, de acordo com o CGE. Na região do Grande ABC paulista, o Rio Tamanduateí e seus afluentes ainda estão com as cotas muito elevadas ou extravasadas, o que mantém regiões em estado de alerta por precaução.

No horário acima, a SPTrans informou que a operação dos ônibus está prejudicada em razão das fortes chuvas. O Expresso Tiradentes, na zona leste, teve sua operação paralisada. Os ônibus de oito linhas não estão circulando pela Marginal Tietê, abaixo da Ponte das Bandeiras (zona norte), e fazem desvios pela Rua Voluntários da Pátria, Rua Santa Eulália e Avenida Santos Dumont.


 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade