Publicidade

Estado de Minas GERAL

Ministros voltam a debater criminalização da homofobia


postado em 20/02/2019 16:20

O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) dá continuidade, nesta quarta-feira, 20, ao julgamento dos processos que discutem se há omissão do Congresso Nacional em não editar lei que criminalize a homofobia e a transfobia. A questão está em discussão na Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO) 26, de relatoria do ministro Celso de Mello, e no Mandado de Injunção (MI) 4733, relatado pelo ministro Edson Fachin.

As informações foram divulgadas pelo STF.

O ministro Celso de Mello prossegue na leitura de seu voto, no qual já afirmou ser inquestionável a inércia do Congresso Nacional em editar lei penal que torne crime a violência contra gays, lésbicas, travestis e demais integrantes da comunidade LGBT.

Após o voto do ministro Celso de Mello, votará o relator do mandado de injunção, ministro Edson Fachin.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade