Publicidade

Estado de Minas GERAL

Verão e carnaval: uma combinação que pode causar infecção urinária


postado em 16/02/2019 09:39

Carnaval e verão, época propícia para quem quer aproveitar a folia, ou mesmo a praia e a piscina. Apesar de parecerem inofensivos, esses programas exigem alguns cuidados para evitar doenças como as infecções do trato urinário (ITUs). De acordo com Bruno Azevedo Randi, infectologista do Hospital 9 de Julho, as infecções são comuns nessa época do ano por diversos fatores, entre eles, falta de hidratação adequada, retenção urinária e a prática sexual.

As ITUs são causadas principalmente por bactérias e são mais comuns nas mulheres, porque a vagina e a uretra ficam próximas ao ânus, o que favorece o surgimento da infecção. A doença pode ser classificada como baixa, quando atinge a uretra e a bexiga, ou alta, quando as bactérias invadem os rins. Entre os sintomas estão ardência ao urinar e vontade constante de ir ao banheiro. O tratamento costuma ser indicado pelo infectologista com o uso de antibióticos e analgésicos.

Para evitar que a doença se agrave, confira algumas dicas do infectologista Bruno Randi para curtir o verão sem correr riscos:

Não bebo água durante os bloquinhos para não precisar ir ao banheiro. Isso é prejudicial?

Sim. Tanto para prevenção quanto para diminuição dos sintomas é muito importante manter-se hidratado e urinar pelo menos quatro vezes ao dia. Cuidar da higiene da região genital também ajuda a evitar a doença.

Nem sempre tem papel higiênico no banheiro químico, como me limpo não faz diferença, certo?

Sim. No caso das mulheres, a higiene íntima é fundamental: ao se limpar, usar o papel higiênico sempre da vagina em direção ao ânus, nunca ao contrário. Apenas o uso de papel higiênico sem perfume é o suficiente. Para os homens, enxugar o pênis depois de urinar ajuda a evitar que resíduos de urina fiquem em contato com o órgão e cause infecções fúngicas. "Uma dica é andar com lenço umedecido ou papel higiênico na bolsa para evitar problemas", sugere o médico.

A infecção de urina é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST)?

Não. O especialista comenta que essa dúvida é comum em casos de mulheres que foram diagnosticadas com ITUs depois do sexo vaginal ou anal. "Como muitas bactérias ficam na 'porta' da vagina e do ânus, o pênis pode ser o agente transmissor para a uretra da mulher", esclarece o médico, que indica urinar após o sexo para diminuir o risco de ITU.

A infecção de urina pode voltar mais forte, se não tratada corretamente?

Sim. Alguns pacientes não fazem o tratamento até o fim e acabam por tornar a bactéria mais resistente à medicação e aumentar a gravidade do caso. Em pacientes com infecções de repetição, a falta do tratamento pode não ser a única causa da volta da doença. Alguns casos mais graves podem ser causados por cálculos urinários, variações anatômicas do trato urogenital, ou mesmo ser um alerta para a presença de tumores. Por isso, é importante o acompanhamento médico.

Sempre tenho infecção de urina. Há algo que possa ser feito?

Sim. A infecção urinária de repetição é definida como três episódios nos últimos 12 meses ou dois episódios em 6 meses. As pessoas com esta condição devem buscar um especialista, pois algumas medidas profiláticas podem ser indicadas para diminuir o risco de ITUs.
Consultoria: Hospital 9 de Julho


Publicidade