Publicidade

Estado de Minas GERAL

COP 24: CNA e Senar lançam hoje plano voltado a produtores do Cerrado


postado em 12/12/2018 15:17

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) lançarão na tarde desta quarta-feira, 12, Projeto FIP Paisagem, que fará a gestão integrada do Bioma Cerrado a partir de 2019. O lançamento está marcado para as 15h30 (horário de Brasília), na 24ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP24), em Katowice, na Polônia.

A ideia do projeto é levar assistência técnica e gerencial para 4 mil propriedades rurais situadas no Bioma Cerrado, a fim de realizar a gestão integrada da paisagem do cerrado, diz nota da CNA. Essa gestão ocorrerá a partir do monitoramento de imagens de satélite, geradas pelo Inpe, e pela Embrapa, verificando-se os avanços das ações implementadas.

"Vamos estimular a adoção de tecnologias sustentáveis de baixa emissão de carbono, associadas às orientações técnicas para a conservação e recuperação de áreas degradadas", explica o diretor de Assistência Técnica e Gerencial do Senar, Matheus Ferreira. Cada propriedade receberá atendimento por 24 meses, com ações voltadas para o aumento da produtividade e da renda nas cadeias produtivas assistidas.

O projeto FIP Paisagem terá duração de seis anos e atenderá produtores rurais da Bahia, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Minas Gerais, Piauí e Tocantins. "Os profissionais terão a habilidade de elaborar planos de adequação ambiental que serão um caminho para os Projetos de Recomposição de Áreas Degradadas ou alteradas (Pradas) exigidos pelo Programa de Regularização Ambiental (PRA) que estão sendo construídos nos Estados", diz Ferreira.

O lançamento, nesta quarta na Polônia, será feito em conjunto com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o Serviço Florestal Brasileiro, o Banco Mundial, o Ministério da Agricultura, a Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ) e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade