Publicidade

Estado de Minas

Desembargador reage a assalto e atira em ladrão dentro de casa

Mesmo assim, o bandido e comparsas conseguiram fugir. O grupo levou pertences da família do desembargador, além do carro de um vizinho, usado na fuga


postado em 23/07/2018 18:33

(foto: Arthur Menescal/Esp.CB/D.A Press)
(foto: Arthur Menescal/Esp.CB/D.A Press)

Um desembargador foi vítima de assalto na tarde desta segunda-feira (23/7). O caso aconteceu no momento em que ele chegava em casa, por volta das 13h, na QL 4 do Lago Sul. Os assaltantes chegaram em um carro branco e fugiram com uma Mercedes de um vizinho que estava estacionada na porta da outra casa. Também levaram o relógio de ouro da mulher do desembargador e cordões.

A vítima reagiu e um dos bandidos ficou ferido. Ainda assim, eles conseguiram fugir. Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), Pedro Aurélio Rosa de Farias, 72 anos, contou que chegava em casa por volta das 13h30 quando foi rendido por um assaltante em um carro branco. “Apertei o botão da garagem e ele me abordou. Abriu a porta do meu carro e me mandou sair. Como estava nervoso, ele me ajudou a tirar o cinto”, contou. Ao descer, Pedro levou uma coronhada no nariz. “Eu sangrei muito. Me colocaram para dentro de casa, arrastaram minha mulher pela residência, e diziam que queriam o cofre. Eu não tenho, mas meu filho tem”, contou.

Dentro da residência, o assaltante trancou a vítima em um lavabo, mas ele conseguiu sair. “Subi, peguei minha arma e dei um tiro na varanda para alertar os vizinhos. No que desci, fui recebido por três tiros. Reagi, acertei um deles e eles fugiram”, detalhou.

Ao todo, eram três assaltantes. Dois ficaram dentro do carro usado para o assalto e um desceu para vasculhar a casa. O ladrão chegou a colocar o cofre dentro do carro do desembargador, mas, ao regir, eles fugiram. “Dei três tiros no carro e um deles acertou o assaltante. Eles fugiram, mas levaram a Mercedes de um vizinho que estava estacionada em frente à casa”, explicou Pedro.

O veículo foi encontrado com rastros de sangue na 211 Sul. O desembargador já fez as características dos ladrões. “Sinto uma absoluta insignificância pelo Governo do Distrito Federal. Se eu não tivesse uma arma em casa, não sei o que aconteceria. Eles foram muito violentos”, lamentou.

A vítima forneceu as características dos ladrões para os policiais. O delegado-chefe da 10ªDelegacia de Polícia (Lago Sul), Plácido Rocha, esteve no local para começar as investigações.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade