Publicidade

Estado de Minas

Bombeiros concentram busca por vítimas na parte de trás do prédio que desabou

Na sexta-feira, foi localizado o corpo de Ricardo Oliveira Galvão Pinheiro e não havia ferimentos por queimadura


postado em 05/05/2018 10:36 / atualizado em 05/05/2018 12:13

(foto: Corpo de Bombeiros/SP/Twitter )
(foto: Corpo de Bombeiros/SP/Twitter )

São Paulo - O Corpo de Bombeiros intensificou na manhã deste sábado o trabalho de busca por vítimas na parte posterior do prédio Wilton Paes de Almeida. Segundo o porta voz da corporação, o capitão Marcos Palumbo, as chamas não alcançaram a parte de trás do edifício e nessa região há maior probabilidade de localizar vítimas com vida.

Na sexta-feira, foi localizado o corpo de Ricardo Oliveira Galvão Pinheiro e não havia ferimentos por queimadura. "O Corpo estava muito afetado pela queda e por ter sido atingido pelos escombros, mas, não, por queimaduras. Também na parte posterior encontramos roupas e móveis que não estavam queimados", disse Palumbo.

Cinco pessoas são consideradas desaparecidas. "Segundo o relato dos moradores, as vítimas estavam até o quarto andar. Nós temos que retirar o entulho até chegar à altura desse pavimento para acessar essas possíveis vítimas. A vítima que localizamos estava no 16º andar, ou seja, precisamos retirar o entulho de mais de 10 andares".

Segundo o capitão, os bombeiros estão trabalhando com a "remoção seletiva de entulho". Uma escavadeira é usada para puxar o material da parte central do edifício e outra a retira após análise. Todo o entulho está sendo levado para um aterro que a Prefeitura separou especificamente para o material do prédio. "Retiramos cerca de 200 a 250 toneladas de materiais por dia e encaminhamos para um aterro separado para a perícia e para uma possível retirada de objetos posteriormente."

(Isabela Palhares)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade