Publicidade

Estado de Minas

Conheça a história do prédio que pegou fogo e desabou no centro de São Paulo

Construído em 1962, o edifício foi um marco da arquitetura moderna. Era tombado como Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo


postado em 01/05/2018 13:54 / atualizado em 01/05/2018 14:13

(foto: Google street view)
(foto: Google street view)

RAIO-X

Edifício Wilton Paes de Almeida

Construção: 1962
Área construída:  11.083m²
Área de terreno: 660m²
Localização: esquina da Avenida Rio Branco com a Rua Antônio de Godói – Centro de São Paulo

O prédio que foi tomado por um incêndio de grande proporções no centro de São Paulo, na madrugada desta terça-feira, 1º, guarda história de quase 60 anos. 

Projetado em 1961 pelo arquiteto brasileiro Roger Zmekhol para ser a sede da Companhia Comercial de Vidros do Brasil, o edifício foi um marco da arquitetura moderna. Em 1992, foi tombamento como Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo.

O imóvel foi usado pela Polícia Federal do início dos anos 1980 até 2002. Entre 2007, o INSS  abriu um posto de atendimento no edifício, mas ocupou apenas a área térrea, enquanto os demais andares continuavam vazios. A Previdência deixou o local em 2010, por causa da infestação de mosquitos da dengue e o prédio foi fechado.

Nesta época, começaram as invasões de moradores de rua e os furtos de equipamentos, como cabos e outras instalações. A Secretaria do Patrimônio da União, ligada ao Ministério do Planejamento, tentou transformar o local em centro cultural, mas desistiu por falta de verba

Em 2012, a Unifesp obteve autorização para implantar no prédio a sede de seu curso de direito, mas o projeto foi abandonado no ano seguinte. Atualmente, o edifício  era ocupado irregularmente por 120 famílias.



Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade