Publicidade

Estado de Minas

Após cinco meses desaparecido, 'menino do Acre' volta para casa

A família informou, por meio de redes sociais, que não vai se pronunciar formalmente ainda sobre o retorno


postado em 11/08/2017 13:43 / atualizado em 11/08/2017 14:37

(foto: Reprodução/ Facebook)
(foto: Reprodução/ Facebook)
Após cinco meses, o "menino desaparecido do Acre", o estudante de Psicologia Bruno Borges, voltou nesta sexta-feira, 11, para casa. Ele deixou 14 livros criptografados. O primeiro a ser editado está na lista dos mais vendidos do Brasil. Trata de uma suposta Teoria da Absorção do Conhecimento.

Assim que as informações do retorno circularam nas redes sociais, a casa do jovem começou a ser visitada por amigos. A família informou, por meio de redes sociais que não vai se pronunciar formalmente ainda sobre o retorno. Não se sabe ainda as condições de saúde do estudante.

A mãe de Bruno Borges, a empresária Denise Borges, viajou para o Santuário de Aparecida,no interior de São Paulo. "Ontem, eu fiquei o dia inteiro de joelho no chão pedindo pelo retorno dele e ele voltou", disse a mãe, visivelmente emocionada.

Ao desaparecer, Bruno Borges deixou 14 livros criptografados(foto: Reprodução/ Facebook)
Ao desaparecer, Bruno Borges deixou 14 livros criptografados (foto: Reprodução/ Facebook)


"Eu não tenho muitos detalhes só sei o que me disseram: que ele está muito magro e que estava em retiro", disse, tentando sufocar o choro. Denise disse que Bruno se nega a dizer onde estava localizado o "retiro". Denise tenta embarcar em um avião para retornar ao Acre, mas só deve conseguir isso no sábado (12).

Bruno transformou seu quarto em uma espécie de museu, registrando nas paredes informações criptografadas(foto: Reprodução/ Facebook)
Bruno transformou seu quarto em uma espécie de museu, registrando nas paredes informações criptografadas (foto: Reprodução/ Facebook)


Ação de marketing


Em maio, a Polícia Civil do Acre disse ter encontrado "fortes indícios" de que o desaparecimento do jovem estudante Bruno Borges tenha ocorrido para impulsionar a divulgação de livros de sua autoria. O departamento de inteligência afirmou que no mesmo dia em que o rapaz desapareceu um contrato falando de faturamento das obras foi registrado em Rio Branco.

O "Contrato de Sociedade no Projeto Enzo com o Lançamento de 14 Obras" foi registrado no dia 27 de março, no Primeiro Tabelionato de Notas e firmado com Marcelo de Souza Ferreira, amigo de Bruno.

O documento define que haveria benefício de 15% do faturamento bruto do 'Projeto Enzo' e das '14 literaturas iniciais', parte do lançamento do 'projeto'.

Em entrevista realizada no dia 31 de maio, o chefe do Departamento de Inteligência, delegado Alcino Júnior, disse que "havia uma combinação para a publicação das obras".O delegado classificou como 'fortes' os indícios do afastamento voluntário de Bruno, que teria servido para dar publicidade aos livros. O amigo do estudante foi detido por falso testemunho.

Além dos livros criptografados e escritos nas paredes, Bruno também deixou no quarto uma réplica da imagem de Giordano Bruno, filósofo italiano, vítima da inquisição (foto: Reprodução/ Facebook)
Além dos livros criptografados e escritos nas paredes, Bruno também deixou no quarto uma réplica da imagem de Giordano Bruno, filósofo italiano, vítima da inquisição (foto: Reprodução/ Facebook)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade