Publicidade

Estado de Minas

Namorado da mulher que sequestrou bebê: 'Ela disse que estava grávida'

O rapaz afirmou que Cevilha Moreira dos Santos contou a ele, em novembro do ano passado, que estava esperando uma menina


postado em 30/06/2017 15:54 / atualizado em 30/06/2017 16:21

A mãe Arlete Bastos da Silva no reencontro com a filha Valentina(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press )
A mãe Arlete Bastos da Silva no reencontro com a filha Valentina (foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press )

O namorado da mulher que sequestrou uma criança de 3 meses em uma clínica no Conic prestou depoimento na manhã desta sexta-feira (30/6), por volta das 11h, na Delegacia de Panaltina de Goiás. Neilson Souza Silva, 35 anos, afirmou que Cevilha Moreira dos Santos, 44, disse a ele que estava grávida dele desde novembro de 2016. O casal não morava junto, e o relacionamento,iniciado em 2014, estaria "conturbado", segundo ele.

De acordo com o chefe da Delegacia de Polícia de Planaltina de Goiás, Cristiomário Medeiros, Neilson disse ainda que a suspeita escondia o corpo e não deixava que ele entrasse no banheiro com ela dentro. Cevilha teria confirmado a ele que o bebê era uma menina. Ele chegou a montar um quarto para a filha na casa da suspeita, com direito a berço e enxoval completo, acrescentou a testemunha.
Cevilha vivia um relacionamento conturbado com o namorado (foto: PMGO/Divulgação )
Cevilha vivia um relacionamento conturbado com o namorado (foto: PMGO/Divulgação )

Neilson também contou que Cevilha dizia trabalhar no Samu. A equipe de investigação chegou a encontrar um uniforme que lembrava o do serviço na casa da suspeita, o que gerou uma nota da Secretaria de Saúde do Distrito Federal. "A Secretaria de Saúde reconhece este episódio como um caso isolado e que não pode macular a imagem de seus servidores e deste serviço, que é de grande importância social e, diariamente, ajuda a salvar vidas. A gestão da pasta e do Samu acompanham o caso", escreveu em nota.

Outras mulheres foram abordadas 
 
De acordo com o delegado Medeiros, depois da notícia do sequestro, mulheres da cidade foram à delegacia ainda na noite de quinta-feira (29/6) para dizer que Cevilha havia visitado a casa delas se passando por uma assistente social. Ela só abordava gestantes de meninas, para as quais oferecia cesta básica e enxoval. O delegado descarta que a suspeita esteja envolvida em algum tipo de quadrilha.

Cevilha foi presa em Planaltinha, na tarde de quinta-feira (29/6), pela Polícia Militar de Goiás. Além da bebê, a mulher tinha em mãos uma certidão de nascimento, como se já tivesse cadastrado a criança como "Isabela". O delegado afirmou que as primeiras análises apontam "falsificação grosseira", pois há dados falsos no documento. As datas não fazem sentido: o registro teria sido feito na quinta, enquanto a data de emissão está como 26 de fevereiro de 2007. Além disso, o nome do cartório onde a menina foi registrada é do Gama, mas o endereço anotado é de Sobradinho.

A polícia ainda vai investigar com quem Cevilha conseguiu esses documentos e como fez para atualizá-lo. Ela morava em Sobradinho e é mães de quatro filhos, frutos de outros relacionamentos. Medeiros acredita que a renda mensal da família vinha da pensão dos meninos.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade