Publicidade

Estado de Minas

Jovem atropelada por ex-namorado tem morte cerebral no interior de São Paulo

Jessica Trianoski tinha terminado um relacionamento de dois anos com o suspeito


postado em 16/05/2017 15:26 / atualizado em 16/05/2017 15:53

(foto: Reprodução/Facebook )
(foto: Reprodução/Facebook )

Teve morte cerebral nesta segunda-feira, a jovem de 26 anos que foi atropelada pelo ex-namorado, na sexta-feira, em Jacupiranga, no Vale do Ribeira, no interior de São Paulo. A socorrista Jessica Trianoski tinha terminado um relacionamento de dois anos com o suspeito, Marcos Magno Cunha Moraes, e vinha recebendo ameaças há cerca de seis meses.

Ela estava a caminho do trabalho quando o carro de Marcos se aproximou em alta velocidade e a atingiu. O novo namorado e o pai dele que estavam próximos reconheceram o rapaz ao volante.
Marcos Magno ameaçava Jéssica desde o fim do relacionamento, há cerca de seis meses. Ele está foragido(foto: Reprodução/Facebook )
Marcos Magno ameaçava Jéssica desde o fim do relacionamento, há cerca de seis meses. Ele está foragido (foto: Reprodução/Facebook )

Jessica era técnica de enfermagem e trabalhava como socorrista de uma contratada da concessionária Autopista Régis Bittencourt. Ela ia pegar uma condução para o trabalho e caminhava ao lado do namorado, Carlos Augusto Souza Leite, quando o ex jogou o carro contra eles. Carlos conseguiu se esquivar, mas a jovem foi atingida em cheio.

Ela foi levada em estado grave para o Hospital Regional de Pariquera-Açu, mas não apresentou melhora. Na tarde de segunda, os médicos atestaram a morte cerebral. A família decidiu doar os órgãos.

A Central de Polícia Judiciária de Jacupiranga, que investiga o caso, informou que o advogado do suspeito entrou em contato para informar que ele se apresentaria à polícia. Até a tarde desta terça-feira, 16, isso não tinha ocorrido.

Moraes deve ser indiciado pelo crime de feminicídio, homicídio qualificado praticado contra a mulher por razões da condição de sexo feminino. A pena prevista vai de 12 a 30 anos de reclusão.

Rede social

No dia do crime, Marcos havia compartilhado em seu perfil na rede social Facebook uma mensagem religiosa: "Nunca diga que tudo acabou, diga que Deus está com você e Ele vai te ajudar".

Já a página de Jéssica na rede social foi transformada em memorial. "Esperamos que as pessoas que amam Jessica encontrem alento ao visitar seu perfil, para lembrar e celebrar sua vida", informa o texto.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade