Publicidade

Estado de Minas

Polícia faz operação na casa em que menina de 12 anos sofreu estupro coletivo

Na casa, viviam o namorado da menina e a mãe dele. A polícia encontrou o local revirado e sem as roupas no armário


postado em 11/05/2017 14:34

A Polícia Civil faz perícia e cumpre mandado de busca e apreensão nesta quinta-feira, 11, na casa em que a adolescente de 12 anos foi vítima de estupro coletivo, em abril. O imóvel fica na Favela da Chatuba, em Mesquita, na Baixada Fluminense. O local fica próximo a uma boca de fumo.


Na casa, viviam o namorado da menina e a mãe dele. A polícia encontrou o local revirado e sem as roupas no armário. A informação é de que o tráfico os expulsou do local, depois da repercussão do caso.

Crime


De acordo com as investigações, o adolescente, de 17 anos, convidou a menina para ir a sua casa, enquanto a mãe dele estava trabalhando. Quando a garota chegou, encontrou outros dois adolescentes, de 16 e 17 anos, na casa. Eles a levaram para o quarto e iniciaram a agressão. Logo depois o namorado chegou, acompanhado de um rapaz de 18 anos. Os quatro consumaram o estupro.

Dois celulares foram apreendidos. Travesseiros também serão encaminhados à perícia. No vídeo, um dos agressores afirmou: "Tapa o rosto da novinha". O caso veio à tona em 30 de abril, quando imagens do estupro foram divulgadas nas redes sociais. A tia da criança denunciou o crime.

Um dos adolescentes se apresentou à polícia e foi apreendido. Ele disse que o sexo foi consentido. Mas investigadores dizem que o vídeo mostra que ela não consentiu sexo com quatro, pediu para que parassem. Além disso, por ela ter menos de 14 anos, o ato sexual é estupro de vulnerável. O adolescente foi levado nesta quinta-feira para instituição para menores infratores.

Policiais da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV), da Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) e da 53° Delegacia de Polícia (Mesquita) participam da operação.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade