Publicidade

Estado de Minas

PM resgata, sozinho, 20 pessoas durante incêndio em Brasília; assista ao vídeo

Do total de moradores, 10 eram crianças. O PM avistou o prédio em chamas durante patrulha na região


postado em 11/05/2017 09:42 / atualizado em 11/05/2017 09:51

(foto: Reprodução/Youtube)
(foto: Reprodução/Youtube)

Moradores da quadra 316 de Samambaia, em Brasília, presenciaram cenas que pareciam retiradas de um filme de ação na madrugada dessa quarta-feira. O protagonista foi Heitor Theodoro da Silva, 34 anos, cabo da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF). Enquanto fazia patrulha na região, o PM viu um prédio em chamas. Imediatamente, arrombou a porta de ferro do local, encarou as labaredas de fogo e resgatou – sozinho – 20 pessoas que dormiam.

 
Veja o momento do resgate

 


Após o resgate, Theodoro teve queimaduras superficiais no corpo e sentiu dificuldade de respirar, por causa da quantidade de fumaça inalada.

Assim que avistou o incêndio, o militar viu uma criança pela janela, na sobreloja do espaço que era consumido pelas chamas. Percebeu, então, a necessidade de agir. Em questão de segundos, conseguiu entrar no prédio. "Não sou bombeiro, não tinha equipamento próprio para isso. Mas nessas horas a gente só consegue pensar no outro", relata, emocionado. Segundo Theodoro, como é chamado no quartel, as vítimas estavam dormindo e nem sequer perceberam o que acontecia. Ele bateu de porta em porta até conseguir resgatar todos os moradores.

Entre as pessoas que salvou, uma o emocionou de maneira diferente. No último apartamento que bateu, Theodoro conta que moravam uma mãe e a filha. Ambas estavam atordoadas com a fumaça. Com medo, não conseguiam abrir o cadeado da residência e precisaram do apoio do policial. Ele pegou a chave, abriu a casa e carregou no colo a garota, de 3 anos: "Depois ela não me largava mais. Disse até que queria ser policial quando crescesse".

De acordo com a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros chegou minutos depois e apagou o fogo. Os moradores foram socorridos no local e passam bem. Há sete anos trabalhando na polícia, esta foi a primeira vez que o cabo agiu durante um incêndio. "Eu acredito no meu trabalho, na minha ideologia. Gosto de me sentir útil para a população e de ajudar o próximo. Não há nada mais gratificante do que salvar a vida de alguém".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade