Publicidade

Estado de Minas

Com 'volume morto', nível do Cantareira chega a 26,7%

Moradores começarão a ser servidos pela reserva técnica apenas no domingo


postado em 16/05/2014 14:31 / atualizado em 16/05/2014 14:57

Em cerimônia com a presença do governador Geraldo Alckmin, a água da Represa Jaguari começa a abastecer o sistema Cantareira(foto: Rogerio Casemiro/Reuters)
Em cerimônia com a presença do governador Geraldo Alckmin, a água da Represa Jaguari começa a abastecer o sistema Cantareira (foto: Rogerio Casemiro/Reuters)

Ao contabilizar a partir desta sexta-feira, 16, a água do "volume morto", a Sabesp elevou de 8,2% para 26,7% o nível do Sistema Cantareira, conjunto de reservatórios usado para abastecer 8 milhões de pessoas na Região Metropolitana de São Paulo. Segundo a companhia, o volume morto acrescenta 18,5 ponto porcentual ao volume útil - o equivalente a 400 milhões de metros cúbicos de água armazenados abaixo das comportas do Cantareira.

A captação foi inaugurada nesta quinta-feira, 15, pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), em Joanópolis, no interior paulista, na tentativa de evitar o desabastecimento do Sistema Cantareira. A partir de domingo, cerca de 7,3 milhões de moradores da Grande São Paulo que ainda são abastecidos pelo Sistema Cantareira já começam a receber água do "volume morto" do manancial. Os técnicos do governo paulista, no entanto, não sabem quanto tempo os 182 bilhões de litros adicionais devem durar. Segundo estimativa feita pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, o próximo período chuvoso só deve registrar pluviometria dentro da média em dezembro.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade