Publicidade

Estado de Minas

Barulho lidera reclamações em UPP que funciona há 7 dias na favela Cidade de Deus


postado em 12/05/2014 14:38

Na primeira semana de funcionamento da ouvidoria das Unidades de Polícia Pacificadora, o serviço foi procurado por 70 moradores da favela Cidade de Deus, na zona oeste. A principal queixa foi por perturbação de sossego, por som alto. Não foi informado se os moradores registraram reclamações contra os policiais que atuam na UPP. A Ouvidoria Paz com Voz é um serviço itinerante, que visitará quatro favelas pacificadas por mês. A ideia é abrir um canal de interlocução com a comunidade. A unidade funciona dentro de uma van adaptada, transformada em sala de atendimento e equipada com computadores. A equipe tem 20 ouvidores. "A boa receptividade dos moradores reflete o quanto a sociedade acredita no trabalho das UPPs e quer contribuir para a melhoria dos serviços", afirmou a ouvidora-geral das UPPs, tenente Tatiana Lima. Nesta semana, a ouvidoria ficará na Rocinha, na zona sul. A decisão de criar a ouvidoria das UPPs ocorreu depois do desaparecimento do pedreiro Amarildo de Souza, morto após ser levado por policiais até a sede da UPP da Rocinha. Ao anunciar a criação do serviço, em novembro do ano passado, o coordenador das UPPs, coronel Frederico Caldas, garantiu que a ouvidoria funcionaria com transparência, com mecanismos para que os moradores pudessem acompanhar as denúncias.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade