Publicidade

Estado de Minas

Volume morto da Cantareira será usado em maio; rodízio não tem data

Obras de adaptação estão sendo feitas para o uso de reservatório extra, que é acessado apenas em emergências


postado em 10/04/2014 14:49 / atualizado em 10/04/2014 16:15

Reservatório está no menor nível de sua história(foto: Paulo Whitaker/Reuters)
Reservatório está no menor nível de sua história (foto: Paulo Whitaker/Reuters)

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) começará a usar a água do fundo dos reservatórios do Sistema Cantareira, conhecido como volume morto, no dia 15 de maio. A decisão de iniciar o rodízio na Grande São Paulo, no entanto, ainda não tem data. Foi o que afirmou nesta quinta-feira, 10, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) ao lançar as obras do Sistema São Lourenço - que vai captar água no Vale do Ribeira para abastecer a Grande São Paulo.

Segundo Alckmin, as obras para o uso do volume morto estão 80% concluídas. A data do início foi confirmada pela presidente da Sabesp, Dilma Pena. "Diante do quadro atual, é certo que vamos precisar de uma parte dessa água", afirmou ela. Sobre o rodízio, Alckmin disse que não está descartado, mas também não está decidido se será adotado. O tucano afirmou que a decisão é técnica e depende do monitoramento diário do sistema. "Não vamos começar nem antes, nem depois. Se precisar adotar o rodízio, será adotado no momento certo e será implantado da maneira que menos atrapalhe as pessoas", afirmou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade