Publicidade

Estado de Minas

Metrô de São Paulo cria campanha de conscientização sobre assédio

Concessionária tem se esforçado para diminuir casos de abuso sexual que são recorrentes nos horários de pico


postado em 08/04/2014 18:19 / atualizado em 08/04/2014 19:02

(foto: Divulgação/Metro SP)
(foto: Divulgação/Metro SP)
Depois de dezenas de casos policiais envolvendo assédio sexual contra mulheres no interior de trens e em plataformas, o Metrô de São Paulo decidiu agir e criar uma campanha para tentar conscientizar os passageiros sobre o assunto. Nos próximos dias, começam a ser espalhados pelo sistema, cartazes e panfletos orientando que a prática de abusos constitui crime, além de vídeos nos televisores instalados dentro dos vagões.

O material também informará que a empresa "tem mais de mil agentes de segurança treinados para ajudar os usuários" e que as pessoas podem denunciar as ocorrências por meio de mensagem de celular para o número 97333-2252. A campanha já começou na internet, na página oficial da Companhia de Trens Metropolitano em redes sociais, como o Facebook e o Twitter.

Desde a semana passada, a mensagem começou a ser distribuída para os seguidores da empresa, que é controlada pelo governo do estado, por meio de publicações nesses sites. As reações dos internautas foram, no geral, positivas, incentivando o Metrô a expandir a campanha para as estações, fora da web. Contudo, também houve críticas. Um passageiro escreveu: "superlotação dos trens, que transportam as pessoas de forma desumana, que facilita o assédio, também é crime".

O texto da campanha está inserido em um círculo branco, rodeado por um fundo cor de rosa, onde a palavra "respeite" se repete várias vezes. A Assessoria de Imprensa da empresa informou que a própria equipe de comunicação é a responsável pela confecção e envio do material, para a qual não foi contratada nenhuma agência de publicidade.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade