Publicidade

Estado de Minas

Polícia suspeita que caçamba foi levantada propositalmente na Linha Amarela

Investigação leva em consideração hipótese de que caçamba levantada era para dificultar fiscalização. Motorista admite saber do horário de proibição


postado em 29/01/2014 11:19 / atualizado em 29/01/2014 16:17

O motorista do caminhão que bateu em uma passarela na Linha Amarela e deixou cinco mortos e quatro feridos, Luis Fernando Costa, de 30 anos, foi transferido de madrugada do Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca (zona oeste do Rio), para uma clínica particular. O delegado responsável pelo caso, Fábio Asty, disse que foi avisado sobre a transferência de Costa, que será indiciado por cinco homicídios culposos (sem intenção). Asty conversará com a imprensa na tarde desta quarta-feira, 29.

Até o momento, as hipóteses de investigação são se Costa falava ao telefone na hora do acidente, se teria levantado a caçamba para esconder a placa do caminhão ou se houve erro mecânico.

O delegado espera ouvir ainda hoje o motorista de ônibus, identificado como Antônio Carlos, que tentou avisar Costa que a caçamba estava levantada. Asty também quer ouvir Costa e as vítimas sobreviventes assim que receberem alta do hospital. A Policia Civil analisa as imagens das câmeras de segurança e aguarda o resultado dos laudos periciais.

Em depoimento não-oficial no hospital, Costa contou ao delegado que trafegava a 85 km/h na pista onde a velocidade máxima é 80 km/h. Ele também revelou que sabia que o horário era proibido para caminhões, que só podem trafegar na via depois das 10h.

Ainda está em estado grave Jairo Zenatte, motociclista atingido pela queda da passarela, no Hospital Geral de Bonsucesso

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade