Publicidade

Estado de Minas

Vídeo mostra narração fria de Elize Matsunaga sobre assassinato do marido

Elize Matsunaga mostra com detalhes como foi a noite em que matou o marido


postado em 27/08/2012 13:20 / atualizado em 27/08/2012 13:55

(foto: DIOGO MOREIRA/FRAME/AE )
(foto: DIOGO MOREIRA/FRAME/AE )

Um vídeo da reconstituição do assassinato do empresário Marcos Matsunaga, feito pela polícia civil e divulgado na noite desse domingo pelo “Fantástico”, mostra a narração fria de Elize Matsunaga sobre os detalhes da noite em que ela matou e esquartejou o marido. As imagens também trazem à tona a discussão sobre as condições em que se deu o crime. Durante a reconstituição, ela diz que estava de frente para Marcos quando atirou contra ele, a uma distância de quase dois metros. Mas o promotor, José Carlos Consenzo, contesta a versão de Elize, dizendo que o exame de corpo e delito mostra que a vítima foi baleada à queima-roupa, de cima para baixo.

“O laudo diz que o tiro foi a curtíssima distância em razões das lesões, das queimaduras, do chamuscamento. Ela matar a essa distância curta significa que ele não teve a menor condição de defesa”, disse o promotor Consenzo em entrevista ao “Fantástico”.

Veja galeria de fotos


Já o laudo divulgado pela perícia confirma a declaração da mulher de Marcos Matsunaga. Em entrevista ao em.com.br, o advogado de Elize, Luciano de Freitas Santoro, disse que o vídeo “é mais um elemento importante para provar que Elize fala a verdade desde o princípio”. Em relação à contestação do promotor, ele afirmou que o exame do Instituto Médico Legal é questionável. “O exame foi feito no lugar errado e por pessoas erradas”, destaca.

O advogado informou que já apresentou à justiça o documento de defesa. Após análise, o juiz ouvirá testemunhas de defesa e acusação e interrogará Elize. O julgamento só deve ser realizado no ano que vem.

Reconstituição

O vídeo da reconstituição do crime começa na sala de jantar do apartamento do casal, na Zona Oeste de São Paulo. Elize está assentada e encena a briga que teve com o marido, que é representado por um policial. O perito conduz a reconstituição e faz perguntas. Elize responde a tudo de forma resumida e num tom baixo.

Elize conta que o marido ficou alterado quando soube que ela colocou um detetive particular atrás dele. Lembra que ele se levantou, bateu as mãos na mesa e também a agrediu com um tapa na cara. Ela relata que saiu da sala, foi até o bar e pegou uma arma na gaveta. Em seguida ficou esperando até que ele apareceu e ela apontou a arma para ele. “Ele estava caminhando ou estava parado?”, pergunta o perito a Elize. Ela responde: “Estava parado, porque eu acho que ele viu que eu estava com a arma”. Em seguida acrescenta: “Aí ele começou a falar que eu não tinha coragem para fazer isso. Aí a gente continuou discutindo. Aí, eu fui dando passo para trás e ele veio vindo devagar”. O perito pergunta: “Ele te olhou olho no olho?” e Elize responde “Foi”. Em seguida o policial completa: “E aí você atira nesse momento?” e ela diz apenas “É”.

Elize ainda mostrou como arrastou o corpo do marido, levantando tapetes e tirando uma cadeira do caminho. A cena do esquartejamento não foi divulgada em vídeo, mas durante a reconstituição ela mostrou onde fez os cortes e como guardou as partes em malas.


Publicidade