Publicidade

Estado de Minas

Caso de mulher com materiais cirúrgicos em abdômen será investigado

Ana Luiza ficou com um material cirúrgico mais de um ano dentro do corpo


postado em 21/06/2012 12:26 / atualizado em 21/06/2012 12:40

Rosilane mostra os objetos retirados de seu abdômen, entre eles um material metálico, de tecido e de borracha, que ficou encapsulado
Rosilane mostra os objetos retirados de seu abdômen, entre eles um material metálico, de tecido e de borracha, que ficou encapsulado

O Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF) vai abrir uma sindicância para apurar possível negligência da médica Ana Luiza Sandoval durante cirurgia de retirada do útero da servidora pública Rosilane do Carmo Rocha, 50 anos. O procedimento foi realizado em 16 de julho de 2010 e, pouco mais de um ano depois, três materiais cirúrgicos foram identificados e retirados do abdômen da paciente em um hospital particular na Asa Sul. Entre eles estava um material metálico, torto, com 9,6 centímetro de comprimento e 1,5 centímetros de espessura, com característica de uma compressa ginecológica envolta por tecido de algodão.

Em nota, o Conselho informa que ouvirá os esclarecimentos da médica denunciada, bem como da paciente. O CRM ressalta, ainda, que Cavaliará o prontuário da sra. Rosilane, entre outros documentos que venham esclarecer os fatos. Se for considerada culpada, a especialista pode receber penalidade que vai de advertência à cassação do registro profissional.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade