Publicidade

Estado de Minas CHECAMOS

É enganoso o meme que relaciona preço do gás com salário mínimo nos governos Lula e Bolsonaro

O meme compartilhado no Facebook mostra a imagem de botijões com dois valores diferentes e a seguinte descrição: 'Como é bom poder relembrar'


25/02/2021 19:07 - atualizado 25/02/2021 21:20


 

Captura de tela feita em 23 de fevereiro de 2021 de uma publicação no Facebook
Captura de tela feita em 23 de fevereiro de 2021 de uma publicação no Facebook
Publicações que comparam o preço do botijão de gás nos governos de Lula e Bolsonaro e o valor do salário mínimo nesses períodos foram compartilhadas mais de 54,7 mil vezes nas redes sociais desde o último dia 15 de fevereiro. Mas alguns números utilizados estão defasados: por exemplo, quando o salário mínimo estava em torno de 250 reais, o botijão de gás não custava 35 reais, mas por volta de 30 reais.


O meme compartilhado no Facebook (1, 2, 3) mostra a imagem de botijões de gás com dois valores diferentes e a seguinte descrição: “Como é bom poder relembrar! Com o ‘ladrão’: R$ 35,00 Com o ‘honesto’: R$ 85,00”.

Abaixo na imagem, mais dois botijões fazem a comparação de que, no governo Lula, quando o gás custava 35 reais, o salário mínimo era de 250 reais, o que equivalia a 15% da quantia. Já no caso do botijão a 85 reais, durante o governo Bolsonaro, o meme indica que, com o salário mínimo a 1.100 reais, isso corresponde a 8% do valor.

Uma consulta ao site do governo Ipeadata para conferir a evolução dos salários mínimos no âmbito federal mostra que durante o período em que Luiz Inácio Lula da Silva esteve no poder, de 1º de janeiro de 2003 a 1º de janeiro de 2011, o salário mínimo variou de 200 reais nos três primeiros meses de mandato chegando a 540 reais, em janeiro de 2011.

Ao longo de todo mandato do presidente petista, os valores do salário mínimo foram de R$ 200,00, R$ 240,00, R$ 260,00, R$ 300,00, R$ 350,00, R$ 380,00, R$ 415,00, R$ 465,00, R$ 510,00 e R$ 540,00. Nenhum foi de R$ 250,00, como indica a publicação viralizada.

Uma segunda consulta, dessa vez na seção de Preços do site da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), permite verificar a variação desde 2001 e a série histórica do levantamento de preços de revenda do gás liquefeito de petróleo (GLP), também conhecido como “gás de cozinha”.

A primeira vez que o preço médio de revenda do botijão de GLP de 13kg atingiu os 35 reais durante o governo Lula foi em junho de 2009 - a 35,35 reais -, momento em que o salário mínimo no país estava em 465 reais. Assim, nesse mês, o preço do gás equivalia a 7,7% do salário mínimo.

No período em que o salário mínimo estava em torno de 250 reais, como apontam as postagens viralizadas, nesse caso 240 ou 260 reais, de abril de 2003 a abril de 2005, o preço médio de revenda do GLP sequer atingiu os 35 reais.

Uma média dos preços do gás de abril de 2003 a abril de 2004 mostra que o GLP ficou em torno de R$ 29,31. Com o salário mínimo a 240 reais, o gasto com gás representava 12,21% desse valor.

De maio de 2004 a abril de 2005, período em que o salário mínimo era 260 reais, a média de preço do GLP ficou em R$ 31,18, representando 11,99% do salário mínimo.

Em 2021, por sua vez, o salário mínimo ficou estabelecido em 1.100 reais, e nos dois primeiros meses do ano, o preço do GLP foi R$ 76,86, em janeiro, e R$ 78,95 até este momento de fevereiro. Uma média desses valores coloca o preço de revenda do gás em R$ 77,90, o que representa 7,08% do salário mínimo.

No último dia 18 de fevereiro, o presidente Jair Bolsonaro anunciou durante a sua live semanal nas redes sociais que o governo decidiu zerar os impostos federais sobre o GLP - de forma definitiva - e sobre o óleo diesel, durante dois meses.

No site da Petrobras há uma explicação sobre a composição do preço do GLP ao consumidor e o quanto os impostos representam, sendo o ICMS cobrado pelos estados, e o PIS/PASEP e COFINS, pela União. Nesse caso, o imposto do governo federal sobre o gás representa apenas 3% de seu valor, com base nos dados de fevereiro de 2021, enquanto o tributo estadual chega a 15%.

O presidente também criticou a Petrobras e os aumentos sucessivos no preço dos combustíveis, decidindo, por fim, nomear o general da reserva Joaquim Silva e Luna para presidir a companhia. O mercado, contudo, reagiu ao movimento do governo e as ações da Petrobras apresentaram uma queda de 19% devido ao temor de interferência.

Em resumo, as postagens compartilhadas milhares de vezes nas redes comparam dados de momentos diferentes do governo Lula, já que quando o botijão de gás atingiu o preço médio de revenda de 35 reais, o salário mínimo estava estabelecido em 465 reais, não 250 reais.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade