UAI
Publicidade

Estado de Minas ESTADOS UNIDOS

Aos 83 anos, padre que largou a batina vira astro pornô gay: 'Uma festa'

O ex-padre chegou a ser casado com uma mulher por 28 anos antes de começar a atuar em filmes adultos homossexuais


24/05/2022 19:28 - atualizado 24/05/2022 19:37

O norte-americano Norm Self, de 83 anos,
Atualmente, além de atuar em filmes adultos, o idoso também atua como reverendo e cobra entre US$ 75 e US$ 375 para ministrar sessões de 'intimidade sagrada' (foto: Reprodução)

O norte-americano Norm Self, de 83 anos, revelou que já foi padre na igreja católica e hoje atua na indústria pornográfica. As informações são do jornal britânico The sun.

O idoso iniciou no sacerdócio aos 18 anos, mas depois de alguns anos servindo à igreja, notou que aquela não era sua vocação e abandonou a batina. Na época, ele se casou com uma mulher, com quem ficou por 28 anos.
Foi em meados de 1997, com 60 anos, que o ex-padre começou a sentir atração por homens enquanto circulava por um campus universitário e descobriu-se homossexual.

Em 2017, ele protagonizou seu primeiro filme pornográfico. "Meu colega de quarto me perguntou se eu participaria de um filme. Fui convidado e de repente toda essa atenção vem para mim", relembrou ele durante o documentário OAPS on the game: the sex business, citado pelo The sun.

No documentário, Self disse estar realizado com a carreira na indústria adulta. "É quase como fazer uma festa, isso é uma das coisas que admiro nesse jeito de fazer pornô. Nós vamos fazer sexo de qualquer maneira. Então, por que não fazer disso uma experiência libertadora e de união, em vez de escondê-la nas sombras?", declarou.

Hoje, além de atuar em filmes adultos, o idoso também atua como reverendo e cobra entre US$ 75 e US$ 375 para ministrar sessões de 'intimidade sagrada', serviço indicado para pessoas que querem otimizar a vida sexual. Para tornar-se apto para o ofício, ele estudou por três anos o universo do Tantra.

"Se aceito o 'título' de 'ministro da educação erótica', significa a erradicação das falsas mensagens instaladas pela sociedade de que o sexo é, na melhor das hipóteses, suspeito e, na pior, maléfico - e que sua prática é severamente constrangida à reprodução das espécies e não para ser apreciado", comentou.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade