UAI
Publicidade

Estado de Minas ATENAS

Líderes do sul da UE se comprometem com objetivos do Acordo de Paris sobre o clima


17/09/2021 14:55

Os líderes do sul da União Europeia (UE) se comprometeram nesta sexta-feira (17) com os objetivos climáticos do Acordo de Paris de 2015, em uma cúpula realizada em Atenas na qual a migração e a segurança regional também foram abordadas.

"Agora, mais do que nunca, é necessário enfrentar a crescente crise climática e ambiental e criar um futuro seguro, próspero, justo e sustentável para nossas sociedades", disseram Croácia, Chipre, França, Grécia, Itália, Malta, Portugal, Eslovênia e Espanha em uma declaração conjunta.

Num contexto em que o Mediterrâneo já sente os efeitos das mudanças climáticas na forma de eventos meteorológicos extremos, incêndios florestais e enchentes, os participantes acordaram em intensificar a cooperação através da partilha de boas práticas em medidas de prevenção.

O grupo, conhecido como Med7, mas ao qual a Croácia e a Eslovênia foram adicionadas este ano, também reiterou seu "firme compromisso" de implementar o Acordo de Paris de 2015, limitando o aumento da temperatura global a 1,5 °C acima dos níveis pré-industriais e alcançando a neutralidade de carbono até 2050.

Além disso, se comprometeram a trabalhar para proteger o patrimônio cultural e natural do Mediterrâneo, ao mesmo tempo em que promovem a transição dos combustíveis fósseis para energias renováveis e tecnologias de baixo carbono.

Entre os participantes estivam o primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, e o presidente do governo espanhol, Pedro Sánchez.

A reunião de um dia também se concentrou em questões de segurança, como a migração e a crise afegã.

A UE teme que a situação no Afeganistão possa desencadear um afluxo de refugiados semelhante à crise migratória de 2015.

A Grécia e outros estados do sul da UE, os países que mais recebem migrantes, reclamam da falta de apoio de seus colegas do norte.

A UE prometeu 276 milhões de euros (US $ 326 milhões) para novos acampamentos de migrantes nas ilhas gregas que recebem a maioria das chegadas por mar da vizinha Turquia.

O Med7 foi criado há quase uma década por Chipre, França, Portugal, Grécia, Itália, Malta e Espanha.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade