Publicidade

Estado de Minas

Ataque na Rússia: o que se sabe sobre tiroteio que matou crianças em escola

Sete crianças e dois adultos foram mortos em um tiroteio em Kazan, 820 quilômetros a leste de Moscou.


11/05/2021 21:42 - atualizado 11/05/2021 21:42

Escola número 175 em Kazan, onde o ataque aconteceu(foto: Getty Images)
Escola número 175 em Kazan, onde o ataque aconteceu (foto: Getty Images)
Um tiroteio em uma escola na cidade russa de Kazan deixou pelo menos 9 mortos nesta terça (11/5). Mais de 21 pessoas ficaram feridas no ataque, a maioria crianças.

 

Segundo as autoridades municipais de Kazan, sete crianças e dois adultos, incluindo uma professora, foram mortos no ataque. Um adolescente de 19 anos foi detido após o tiroteio. A polícia abriu uma investigação, mas ainda não estabeleceu nenhum motivo pelo ataque.

 

Kazan fica 820 km a leste de Moscou, na república predominantemente muçulmana do Tartaristão.

 

O presidente do Tartaristão, Rustam Minnikhanov, descreveu o tiroteio como um "desastre" e uma "tragédia". À TV estatal russa, ele disse: "Perdemos sete crianças, alunos do oitavo ano. Quatro meninos e três meninas. Eles morreram aqui mesmo, no segundo andar."

Policiais fortemente armados e veículos de emergência responderam ao tiroteio na escola.


Polícia armada chegou à escola e, em seguida, isolou o quarto andar, segundo relatos(foto: Reuters)
Polícia armada chegou à escola e, em seguida, isolou o quarto andar, segundo relatos (foto: Reuters)

Imagens compartilhadas nas redes sociais mostram algumas crianças pulando de janelas para escapar, além de pessoas feridas sendo evacuadas.

 

Os relatos inicialmente davam conta de que havia dois atiradores, um dos quais havia sido morto. Mas as autoridades disseram mais tarde que havia apenas um suspeito.

 

"O terrorista foi preso. Ele tem 19 anos. Ele é proprietário registrado de uma arma de fogo", disse ele.

 

Um vídeo que circulou nas redes sociais mostra um adolescente deitado no chão, aparentemente detido do lado de fora do prédio.

 

Em resposta ao ataque, o Kremlin anunciou nesta terça (11/5) que o presidente Vladimir Putin revisará as leis de controle de armas da Rússia.

 

Segundo um porta-voz do governo, Putin ordenou ao chefe da Guarda Nacional da Rússia, Viktor Zolotov, "definir com urgência novos regulamentos sobre os tipos de armas que podem estar em circulação civil e que podem ser de propriedade do público".

 

A instrução foi emitida "dado o tipo de arma usada pelo atirador" em Kazan, disse o porta-voz, de acordo com a agência de notícias Interfax.

 

"O presidente expressa profundas condolências aos parentes das crianças que morreram nas mãos do atirador e deseja uma recuperação rápida para as crianças que foram feridas", acrescentou.

Como o ataque ocorreu?

O ataque começou por volta das 9h20 do horário local (3h20 no horário de Brasília), segundo uma fonte dos serviços de emergência à agência de notícias russa Tass. O primeiro sinal de um botão de pânico instalado na escola foi enviado cinco minutos depois.

 

"Todos começaram a entrar em pânico e dizer 'fechem as portas'", disse um estudante que testemunhou o ataque ao site de notícias Mediazona. "Cerca de um minuto depois, o diretor da escola começou a gritar: 'Estamos fechando as portas!'


Carros de serviços de emergência estacionados do lado de fora da escola(foto: EPA)
Carros de serviços de emergência estacionados do lado de fora da escola (foto: EPA)

"Saímos cerca de 15 minutos depois, não pela janela. Eu queria fazer isso, mas a professora fechou a janela imediatamente e impediu."

 

Imagens compartilhadas nas redes sociais mostram algumas crianças pulando de janelas para escapar, além de pessoas feridas sendo carregadas. A TV russa noticiou que duas das crianças morreram após pular de uma janela do segundo andar.

 

Policiais fortemente armados e veículos de emergência responderam ao incidente.

 

Um morador de Kazan que estava do lado de fora da escola durante o ataque disse à rádio Moscow Echo que as pessoas estavam histéricas. "Os pais estão chorando, os médicos estão distribuindo remédios", disse.

Tentou proteger as crianças

Elvira Ignatyeva, uma professora de inglês de 25 anos, foi morta tentando proteger uma das crianças, disse uma fonte policial à agência de notícias Tass, citando o depoimento de testemunhas oculares.

 

Ela empurrou a criança para fora do caminho em um corredor e tentou bloquear o atirador, mas foi morta a tiros, disse a fonte.

 

https://www.instagram.com/p/CKv-_VsH8bm/

 

Na conta dela no Instagram, a Ignatyeva costumava publicar mensagens otimistas em fotos dela se divertindo em passeios.

 

"Não é tão difícil fazer sua vida feliz", escreveu ela no dia 1º de fevereiro. "Você só precisa parar de pensar que a felicidade só é possível em algum lugar lá, no futuro, e aprender a aproveitar cada minuto real, aqui e agora..."Como o ataque ocorreu?


Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade