Publicidade

Estado de Minas ROMA

Detido na Itália homem que teria fornecido arma a autor de atentado de Nice em 2016


21/04/2021 22:09 - atualizado 21/04/2021 22:14

Um homem que teria fornecido uma arma ao autor do atentado com um caminhão na cidade francesa de Nice em 14 de julho de 2016, foi detido na Itália, anunciaram nesta quarta-feira (21) vários veículos de comunicação italianos.

Endri E, um albanês de 28 anos conhecido como "Gino", teria fornecido um fuzil de assalto, através de outro albanês, a Mohamed Lahouaiej Bouhlel.

A arma, procedente de um roubo, teria sido escondida em uma floresta nas imediações de Nice antes de chegar às mãos de Bouhlel.

O suspeito foi detido pela polícia italiana em Sparanise, perto de Nápoles (sul), conforme uma ordem de detenção europeia, emitida pela justiça francesa em 27 de abril de 2020, noticiaram as agências de notícias AGI e Ansa.

A Corte de Apelações de Paris remeteu em março ao tribunal penal as oito pessoas acusadas por este atentado que deixou 86 mortos em 14 de julho de 2016. Em plena comemoração da festa nacional francesa, Mohamed Lahouaiej Bouhlel, um tunisiano de 31 anos, atropelou com um caminhão frigorífico uma multidão reunida para um espetáculo de fogos de artifício no Passeio dos Ingleses, em Nice.

No ataque, reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico, além dos 86 mortos, 450 pessoas ficaram feridas.

O julgamento, cuja data ainda não foi anunciada, não ocorrerá antes de 2022.

Como o autor do atentado foi morto na direção do caminhão, o tribunal penal especial examinará as responsabilidades de membros de seu entorno e de intermediários envolvidos no circuito de armas destinadas a ele.

Endri E. é acusado de "associação criminosa" e infração à legalização sobre as armas no capítulo "tráfico de armas" da investigação.

Ele teria debochado com um primo, que o acompanhou na transação da arma, de ter enganado o intermediário ao "lhe entregar um kalashnikov que não funcionava em troca de 35 gramas de cocaína", segundo a investigação, à qual a AFP teve acesso.

O primo, Adriatik E., suspeito dos mesmos crimes, suicidou-se na prisão em 8 de junho de 2018.

O processo deve durar várias semanas e será celebrado em uma grande sala construída no Palácio de Justiça de Paris, após os atentados de 13 de novembro de 2015 na capital francesa e seus arredores.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade