Publicidade

Estado de Minas

ONU incentiva maior participação de mulheres em missões de paz


28/08/2020 18:42

O Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou nesta sexta-feira (28), por unanimidade, uma resolução que solicita aos membros da ONU o fortalecimento da participação das mulheres nas operações de paz, considerada uma garantia de eficiência e credibilidade junto às populações assistidas, segundo diplomatas.

Por iniciativa da Indonésia, um integrante não permanente do conselho, a resolução insta "os Estados-membros, o secretariado das Nações Unidas e as organizações regionais a redobrar os esforços coletivos para promover a participação plena, efetiva e significativa de mulheres militares e civis em operações de manutenção da paz".

O texto especifica que esse esforço deve levar ao envolvimento das mulheres "em todos os níveis e em todos os cargos, incluindo os cargos de gestão".

Os Estados-membros da ONU, acrescenta a resolução, são incentivados a "desenvolver estratégias e medidas para aumentar o envio de mulheres militares em operações de paz" por meio de campanhas de informação, sessões de treinamento e identificação de obstáculos ao recrutamento e promoção de mulheres capacetes azuis.

Para a ONU, as mulheres têm papel indispensável na eficácia das operações de paz. "A presença de mulheres e um melhor equilíbrio entre homens e mulheres entre os mantenedores da paz contribuem, entre outros, para uma maior credibilidade das missões junto à população", ressalta o texto.

A porcentagem de mulheres fardadas nas 13 missões de manutenção da paz atualmente implementadas pela ONU no mundo é estimada em cerca de 6% de um total de 95 mil soldados.

Em 2019, as mulheres representavam 4,7% do contingente militar e 10,8% do contingente policial em missões das Nações Unidas, de acordo com o Departamento de Operações de Paz. A proporção aumenta entre oficiais e observadores militares (16,7%) e oficiais de polícia (28,9%).

A ONU estabeleceu uma meta para 2028: alcançar 15% de mulheres no contingente militar e 25% entre os observadores militares e oficiais de estado-maior.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade