Publicidade

Estado de Minas

Australiano é internado com ímãs no nariz após tentar criar colar anticontágio

Dispositivo deveria emitir um sinal, quando usuário aproximasse a mão da boca


postado em 31/03/2020 07:49 / atualizado em 31/03/2020 08:39

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

O astrofísico australiano Daniel Reardon foi hospitalizado com o nariz cheio de ímãs, após tentar inventar um colar anticoronavírus.

 

Pesquisador na Universidade Swinburne, de Melbourne, Daniel decidiu usar o tempo do confinamento pela pandemia da COVID-19 para fabricar um dispositivo que deveria emitir um sinal, quando seu usuário aproximasse a mão da boca.

 

Após várias tentativas frustradas - contou ele em entrevista à emissora pública de televisão ABC -, "comecei, como um idiota, a ficar com o rosto cheio de ímãs", uma peça-chave de seu "invento".

 

"Comecei com o lóbulo da orelha e segui com as narinas", acrescentou.

 

"Os ímãs de cada narina se atraíram e criaram uma pinça no meu septo nasal", completou.

 

Daniel Reardon tentou, durante uma hora, retirar os ímãs, até que sua parceira, uma radiologista, conseguiu convencê-lo a ir ao Hospital de Melbourne, onde trabalha.

 

Reardon disse que "passa bem" e não sofreu qualquer dano irreversível.

 

O astrofísico disse que "não se animava a voltar a testar" um invento com ímãs, mas que não desistiu da criação de um colar "anticontágio". 

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade