Publicidade

Estado de Minas

OMS adverte que risco de pandemia por coronavírus é 'muito real'

"Não estamos à mercê do vírus" porque "as decisões que tomamos podem influenciar a trajetória", da epidemia, disse o diretor-geral da Organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus


postado em 09/03/2020 14:43 / atualizado em 09/03/2020 16:09

(foto: Odd ANDERSEN / AFP)
(foto: Odd ANDERSEN / AFP)
O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou nesta segunda-feira que a "ameaça de uma pandemia" do novo coronavírus, que já contaminou mais de 110.000 pessoas no mundo, "se tornou muito real".


"Agora que o coronavírus se espalhou para muitos países, a ameaça de uma pandemia se tornou muito real. Mas seria a primeira pandemia da história que poderia ser controlada", disse Tedros Adhanom Ghebreyesus durante uma coletiva de imprensa em Genebra.


"Não estamos à mercê do vírus" porque "as decisões que tomamos podem influenciar a trajetória" da epidemia, disse ele.


"Mesmo se a chamarmos de pandemia, ainda podemos controlá-la", estimou, insistindo: devemos lembrar que, com uma ação rápida e decisiva, podemos retardar o coronavírus e prevenir novas infecções".


O diretor-geral da OMS lançou outra mensagem de esperança, dizendo que "a maioria" dos infectados se recuperará. Assim, dos "80.000 casos relatados na China", berço da epidemia, "mais de 70% se recuperaram", detalhou.


Aparecido em dezembro na China, o coronavírus afeta todos os continentes, exceto a Antártica, e atrapalha a vida cotidiana e econômica em um número crescente de países.


(foto: Fabrice COFFRINI / AFP)
(foto: Fabrice COFFRINI / AFP)
Já causou mais de 3.800 mortes em 100 países e territórios, de acordo com um relatório estabelecido pela AFP.


"Ao contrário da gripe, podemos retardar, podemos desacelerar", disse o responsável pelo Programa de Emergência da OMS, Michael Ryan, expressando sua esperança de que as medidas de contenção da Itália funcionem e ajudem a conter a epidemia para que outros países possam se preparar melhor.


"Não estou preocupado com a palavra 'pandemia', estou mais preocupado com a reação do mundo", acrescentou.


O diretor-geral da OMS também instou os países a não desistirem diante do coronavírus com o pretexto de que afeta principalmente os idosos, dizendo que estaria seguindo o caminho da "decadência moral". "Todo ser humano conta", disse ele.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade