Publicidade

Estado de Minas

Separadas pelo coronavírus, mãe e filha dão abraço no ar; veja vídeo

A enfermeira chinesa Liu Haiyan trabalha em um hospital que cuida de pacientes com o novo coronavírus e por isso, não pode tocar na filha


postado em 05/02/2020 15:46 / atualizado em 05/02/2020 16:05

Garotinha chora e abre os braços em um abraço simbólico na mãe, que é enfermeira(foto: Reprodução/New China TV))
Garotinha chora e abre os braços em um abraço simbólico na mãe, que é enfermeira (foto: Reprodução/New China TV))
Um vídeo do encontro entre mãe e filha na China tem emocionado o mundo em meio ao caos provocado pelo novo coronavírus. A filmagem, divulgada pela tevê estatal chinesa, mostra a enfermeira Liu Haiyan recebendo a visita da filha. Porém, como a profissional trabalha no combate à infecção, as duas não podem se tocar, devido a medidas de segurança. 

Assim, do lado de fora do hospital — na cidade de Zhoukou, província de Henan, a aproximadamente 400km de Wuhan—, mãe e filha conversam de longe usando máscaras de proteção. Aos prantos, mãe e filha abrem os braços, em um abraço simbólico a distância.

A mãe pede para que a filha seja boa e explica que está lutando contra "monstros" e que voltará para casa assim que o vírus for combatido. A filha, que chama pela mãe, carrega uma vasilha com guiozás, bolinhos chineses, que levou para a enfermeira. Como elas não podem ter contato físico, a filha coloca a sacola com bolinhos no chão. A mãe pega a sacola, acena para a filha e volta para o hospital.
 

Assista à cena, com legendas em inglês, abaixo: 




Desafio para todo o país

O vídeo é um retrato duro dos desafios enfrentados não apenas pelos pacientes da epidemia, mas por toda a sociedade chinesa. Esta semana, o filho deficiente de um paciente em quarentena morreu após não ter alguém que pudesse lhe dar cuidados básicos.

A epidemia do novo coronavírus já matou 490 pacientes na China e infectou mais de 24 mil, principalmente na província de Hubei, onde quase 56 milhões de pessoas estão confinadas desde o fim de janeiro.

Segundo o cônsul chinês no Brasil, Li Yang, em coletiva de imprensa no Rio de Janeiro na última segunda-feira (3/2), a produção de vacina contra o novo coronavírus está em “fase final” de produção, porém ainda não há uma previsão para que ela seja de fato concluída e utilizada. 

*Estagiária sob supervisão de Humberto Rezende


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade