Publicidade

Estado de Minas

Britânico é condenado por tentar roubar o texto fundador da democracia moderna


postado em 30/01/2020 15:25

O britânico Mark Royden foi condenado nesta sexta-feira por tentar roubar um original de valor inestimável da Magna Carta, de 1215, o texto fundador da democracia moderna, preservada na Catedral de Salisbury, no sul da Inglaterra.

Royden, de 47 anos, bateu no vidro que protegia o manuscrito histórico com um martelo, mas foi perseguido por turistas e finalmente detido.

No tribunal de Salisbury, um júri o considerou culpado de tentativa de assalto e dano, cujo reparo custou 14.400 libras (18.900 dólares).

O homem, que aparentemente acreditava que a Magna Carta de Salisbury era falsa, conhecerá sua sentença em 25 de fevereiro.

O documento foi assinado em 15 de junho de 1215 pelo rei John Landless, da Inglaterra, sob a pressão de barões rebeldes que queriam limitar a arbitrariedade real.

A carta serviu para definir direitos e liberdades em todo o mundo.

A cópia conservada nesta catedral é manuscrita em latim em um pergaminho de pele de carneiro.

Há quatro cópias desse texto importante, duas na Biblioteca Britânica de Londres, uma na Catedral de Salisbury e uma na Catedral de Lincoln, no leste da Inglaterra.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade