Publicidade

Estado de Minas

Produtores chineses de incenso trabalham duro antes do Ano Novo lunar


postado em 02/01/2020 16:43

Dezenas de trabalhadores mergulham varetas de bambu em uma mistura de ervas, especiarias e pó multicolorido e, em seguida, colocam-nas sob o sol para secarem. É o incenso que milhões de pessoas vão queimar em templos da China e em outros lugares para celebrar o Ano do Rato.

Em Yongchun, um condado montanhoso da província de Fujian (sudeste), cerca de 300 empresas familiares dizem ser responsáveis pela oferta de boa parte do incenso que se queima em toda Ásia.

Em 25 de janeiro, milhões de varetas de incenso se transformarão em fumaça nos templos budistas, ou taoístas, quando os fiéis celebrarem o Ano Novo chinês, como símbolo de sua oração, elevando-se ao céu.

Há gerações, a família de Hong Zhongsen ganha a vida, graças a esta tradição na pequena cidade de Dapu, no coração do condado de Yongchun.

"O incenso é muito importante para minha família, não é apenas um trabalho", diz à AFP. "Também é a preservação de um ofício ancestral e uma cultura religiosa tradicional".

Segundo a lenda, os comerciantes árabes foram os que levaram o incenso para a região.

- Receita misteriosa -

Cerca de 30.000 funcionários mantêm este ofício. São 18 etapas de fabricação que exigem 24 horas de trabalho.

A etapa de secagem ao ar livre preocupa Li Xiuzhen, de 57 anos. "Estou à mercê do mau tempo", afirma, enquanto estende as varetas uma a uma.

Seu chefe não revela a receita para fazer os incensos, uma receita transmitida de geração em geração.

Ele garante que a demanda aumenta na Ásia e até na Europa. Em 15 anos, multiplicou a produção por quatro, chegando a até dez milhões de varetas por dia.

"O incenso de Yongchun é único, com uma textura e fragrância particulares. É toda uma arte, e uma pequena mudança no método de produção pode modificar a qualidade", adverte.

Apesar de ser budista praticante, Hong diversificou a produção: sua empresa também vende incenso destinado a perfumar a casa, ou curar as pessoas com sessões de aromaterapia.


Publicidade