Publicidade

Estado de Minas

Alemanha adia até setembro decisões sobre política climática


postado em 29/05/2019 10:07

Sob pressão após os bons resultados dos Verdes nas eleições europeias, o governo alemão adiou nesta quarta-feira (29) para setembro suas decisões sobre a política climática, que provoca divisões internas.

Berlim vai estabelecer medidas específicas para cada setor, desde a energia nos edifícios, passando pela indústria, transportes e agricultura, que deverão ser adotadas em conselho de ministros "antes do final do ano", anunciou o porta-voz de Angela Merkel, Steffen Seibert, em um comunicado.

Além disso, o governo estudará, a partir de julho, os diferentes sistemas destinados a "taxar as emissões de CO2", segundo Seibert.

Este mecanismo é apoiado por especialistas para incitar as residências e empresas a reduzirem suas emissões.

Esta decisão é debatida há meses dentro da coalizão de governo.

A ministra socialdemocrata Svenja Schulze defende um "imposto sobre o carbono", que muitos de seus colegas consideram politicamente arriscado.

Outros, especialmente os mais conservadores, querem ampliar o mercado europeu do carbono. Para isso, porém, precisam convencer outros Estados-membros da União Europeia (UE).

Os eleitores alemães fizeram dos Verdes a segunda força política do país, com 20,5% dos votos nas eleições de domingo.

O governo da chanceler Angela Merkel é integrado pelos conservadores e pelos socialdemocratas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade