Publicidade

Estado de Minas

Para polícia turca, jornalista crítico a Riad foi morto em consulado saudita


postado em 06/10/2018 19:54

As forças de segurança turcas acreditam que o jornalista saudita Jamal Khashoggi, que desapareceu na terça-feira passada em Istambul, foi assassinado no consulado de seu país, informou à AFP uma fonte próxima ao governo.

"A polícia turca considera, em suas primeiras conclusões, que o jornalista foi assassinado no consulado por uma equipe que veio de propósito a Istambul e partiu no mesmo dia", declarou a fonte.

As autoridades tinham informado um pouco antes que um grupo de sauditas havia ido ao consulado de seu país em Istambul, enquanto Khashoggi se encontrava no edifício e que ele não deixou a representação diplomática, aonde foi fazer um trâmite administrativo.

O grupo, composto por 15 pessoas, chegou a Istambul em duas aeronaves na terça-feira e partiu no mesmo dia, declarou a polícia, citada pela agência estatal Anadolu.

A partir destas informações sobre seu assassinato, a namorada turca de Jamal Khashoggi, Hatice Cengiz, disse no Twitter que "não acredita que o tenham assassinado".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade