Publicidade

Estado de Minas

Autoridades investigam como homem roubou avião que caiu nos Estados Unidos

Funcionário de companhia aérea não era piloto licenciado e decolou na sexta-feira. Aeronave caiu em uma ilha de Washington


postado em 12/08/2018 08:58 / atualizado em 12/08/2018 09:41

Um controlador de tráfego aéreo tentou convencê-lo a pousar o avião, mas ele se negou, argumentando que provavelmente a pena pelo crime seria de prisão perpétua(foto: Reprodução da internet/Twitter)
Um controlador de tráfego aéreo tentou convencê-lo a pousar o avião, mas ele se negou, argumentando que provavelmente a pena pelo crime seria de prisão perpétua (foto: Reprodução da internet/Twitter)

Investigadores estão analisando como um agente terrestre de companhia aérea conseguiu roubar um avião comercial vazio no Aeroporto Internacional de Sea-Tac, decolar e cair em uma pequena ilha em Puget Sound, em Washington, nos Estados Unidos. Ele foi perseguido por jatos militares mobilizados para interceptar a aeronave. Autoridades disseram que o homem era funcionário há mais de 3 anos da Horizon Airlines e que tinha permissão para estar entre as aeronaves, mas que não era um piloto licenciado. O homem de 29 anos usou um trator para manobrar a aeronave, que estava em uma área de manutenção, para então embarcar e decolar na noite de sexta-feira, segundo as autoridades.

Uma autoridade dos EUA com conhecimento sobre o assunto revelou à Associated Press que o homem se chamava Richard Russell. O funcionário não estava autorizado a discutir o assunto e falou sob condição de anonimato. Imagens em vídeo mostram o Horizon Air Q400, um avião turboélice com capacidade para 76 pessoas, fazendo voltas e manobras perigosas durante o pôr do sol em Puget Sound. Dois aviões F-15C saíram de Portland e perseguiram a aeronave roubada, mas as autoridades disseram que eles não chegaram a atirar antes que o avião caísse na Ketron Island, a sudoeste de Tacoma, Washington. O vídeo mostrou chamas em meio a árvores na ilha, que é pouco povoada e acessível apenas por balsas. "Está altamente fragmentado", disse Debra Eckrote, chefe regional do Pacifico Oeste do Conselho Nacional de Segurança do Transporte, sobre o avião. Investigadores esperam recuperar tanto o gravador de voz quanto o gravador de dados da aeronave.



Presume-se que Russell tenha morrido no acidente. Um controlador de tráfego aéreo tentou convencê-lo a pousar o avião, mas ele se negou, argumentando que provavelmente a pena pelo crime seria de prisão perpétua. Mais tarde, afirmou: "Tenho muitas pessoas que se importam comigo. Isso vai desapontá-los ao ouvir que eu fiz isso... Sou um cara quebrado, tenho alguns parafusos soltos, eu acho." A família de Russell disse em comunicado que eles estão atordoados e com o coração partido. Eles referenciaram as gravações dele conversando com os controladores de tráfego aéreo e disseram que está claro que Russell não pretendia machucar ninguém.



Gary Beck, CEO da Horizon Air, que faz parte do Alaska Air Group, disse que não está claro como o homem sabia como ligar o motor, o que requer uma série de interruptores e alavancas. Em entrevista coletiva no Aeroporto Internacional de Seattle-Tacoma, funcionários da Alaska Airlines e da Horizon Air disseram estar trabalhando com as autoridades na investigação sobre o que aconteceu. "O evento da noite passada nos levará a aprender o que podemos com essa tragédia, para que possamos garantir que isso não aconteça novamente no Alaska Air Group ou em qualquer outra companhia aérea", disse Brad Tilden, CEO da Alaska Airlines.



O incidente ressalta um perigo potencial para viagens aéreas comerciais: funcionários de companhias aéreas ou aeroportuários dispostos a provocar o caos. "A maior ameaça que temos à aviação é a ameaça interna", disse Erroll Southers, um ex-agente do FBI e especialista em segurança de transporte, à Associated Press. "Aqui temos um empregado que foi autorizado a ter acesso à aeronave e tinha um conjunto de habilidades proficiente o suficiente para decolar aquele avião." Fonte: Associated Press.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade