Publicidade

Estado de Minas

Riad condena transferência da embaixada americana para Jerusalém


postado em 15/05/2018 10:00

Reunido nesta terça-feira (15) sob a presidência do rei Salman, o Conselho dos Ministros da Arábia Saudita rejeitou a transferência da embaixada americana para Jerusalém - informou a agência oficial de notícias SPA.

"Esse passo constitui um ato de uma grande parcialidade contra os direitos dos palestinos, que foram garantidos por resoluções internacionais", escreveu a agência, citando um comunicado do Conselho de Ministros.

"O governo da Arábia Saudita já advertiu para as graves consequências que podem decorrer desse passo injustificado, que constitui uma provocação para com os sentimentos dos muçulmanos", acrescentou a SPA.

O Conselho dos Ministros também reforçou a condenação aos tiros israelenses, que deixaram dezenas de mortos na fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza, já feita, na segunda-feira, por um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores.

O órgão fez um apelo à comunidade internacional para que aja para "pôr fim à violência e para proteger o povo palestino irmão".

O Conselho dos Ministros também renovou o apoio da Arábia Saudita à decisão do presidente americano, Donald Trump, de retirar seu país do acordo nuclear iraniano e de restabelecer as sanções americanas contra Teerã.

No mesmo comunicado, o Conselho avalia que o Irã se aproveitou, desde a assinatura do acordo, da suspensão das sanções e dos ganhos econômicos que se seguiram para "realizar ações de desestabilização" no Oriente Médio.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade