Publicidade

Estado de Minas

Extremista francês aceita condenação por tiroteio em Bruxelas


postado em 14/05/2018 13:06

O extremista francês Salah Abdeslam não vai recorrer de sua sentença a 20 anos de prisão por seu envolvimento em um tiroteio com a polícia em março de 2016 na Bélgica - indicou seu advogado à AFP, confirmando informações da imprensa local.

"Seu desejo é não apelar. Não tenho comentários a fazer. É sua escolha, devo respeitá-lo", disse Sven Mary ao jornal belga "Dernière Heure".

Abdeslam Salah, de 28 anos e o único membro sobrevivente dos comandos que atacaram Paris em 13 de novembro de 2015 (130 mortos), tinha um mês para apresentar um recurso.

Em 23 de abril, o Tribunal Penal de Bruxelas impôs 20 anos de prisão a Abdeslam e a seu cúmplice, Sofiane Ayari (24 anos), considerando que não havia "nenhuma dúvida sobre seu radicalismo".

Ambos também foram condenados a indenizar as vítimas, incluindo um policial gravemente ferido, em 500 mil euros.

Quatro policiais ficaram feridos no tiroteio de 15 de março de 2016, que ocorreu durante uma invasão em um prédio em Forest, perto de Bruxelas.

Três dias depois, Abdeslam foi preso na comuna de Bruxelas de Molenbeek.

Os investigadores acreditam que sua detenção foi o gatilho para os ataques no aeroporto e no metrô de Bruxelas que deixaram 32 mortos em 22 de março de 2016, cometidos pela mesma célula terrorista.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade