Publicidade

Estado de Minas

Colômbia reforça controle em fronteira com Venezuela ante onda migratória


postado em 08/02/2018 19:30

A Colômbia anunciou nesta quinta-feira (8) novos controles migratórios e de segurança na fronteira com a Venezuela diante da onda de imigrantes que chegaram nos últimos meses fugindo da crise em seu país.

O presidente Juan Manuel Santos também ordenou o envio de 2.120 novos membros da força pública para que façam a segurança dos 2.200 quilômetros que as duas nações dividem.

Vamos "colocar mais controles migratórios e que esses controles sejam mais estritos, que a entrada de venezuelanos tenha algumas características, que seja controlada, ordenada, e, muito importante, que seja feita dentro da legalidade", declarou o presidente na cidade fronteiriça de Cúcuta.

Os efetivos - de terra, ar e mar - que serão mobilizados na zona limítrofe "terão como principal objetivo melhorar o controle sobre os atalhos" por onde cruzam de forma irregular centenas de imigrantes e também operam facções criminosas e de contrabando, acrescentou.

Os venezuelanos deverão ter um passaporte ou cartão migratório para entrar em território colombiano. E os que já vivem na Colômbia deverão fazer um registro gratuito, explicou Santos.

O governo colombiano irá parar de expedir os cartões de mobilidade fronteiriça, criados pela entidade migratória para facilitar o trânsito das pessoas que vivem na zona comum.

Segundo o Migração Colômbia, mais de 550 mil venezuelanos estão em território colombiano de forma regular ou irregular. A entidade projeta que a cifra irá superar um milhão no meio do ano.

O presidente se referiu à situação nesse país como uma "tragédia" e pediu aos colombianos que evitem a xenofobia e atos "hostis" contra os venezuelanos.

Em sua visita à Colômbia no mês passado, o secretário-geral da ONU, António Guterres, reconheceu o impacto da chegada de milhares de venezuelanos e apoiou o esforço humanitário de Bogotá.

O secretário de Estado americano, Rex Tillerson, que se reuniu na terça-feira com Santos em Bogotá, afirmou que sua administração avalia direcionar aos migrantes venezuelanos na Colômbia recursos que estavam destinados para ajudas na Venezuela.

Em sua visita a Cúcuta, onde o governo habilitou uma abrigo especial para os milhares de venezuelanos que perambulam diariamente, Santos culpou "as políticas de Maduro" pela "tragédia" que os venezuelanos estão vivendo.

Simultaneamente, fez um novo chamado ao chefe de Estado venezuelano para que aceite ajuda internacional.

"Mais uma vez insisto que permita a nós, colombianos, ajudarmos os venezuelanos para que não continuem sofrendo, pelo menos, de fome e falta de medicamentos", declarou Santos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade