Publicidade

Estado de Minas

Nacionalistas pressionam Estado francês a negociar autonomia na Córsega


postado em 03/02/2018 15:30

Milhares de nacionalistas corsos se manfestaram neste sábado na Córsega emuma demonstração de força para pressionar o presidente francês, Emmanuel Macron, a iniciar um diálogo sobre suas reivindicações autonomistas, três dias antes de o chefe de estado visitar a ilha.

Cerca de 6.000 manifestantes, segundo as autoridades locais, e 25.000, segundo os organizadores, desfilaram pelas ruas de Ajaccio, a capital da ilha.

Na mobilização, que transcorreu sem incidentes, foram exibidas bandeiras corsas e coreados slogans como "Viva a luta pela independência!" ou "Estado francês assassino!".

A manifestação, apoiada por sindicatos, associações cívicas e diversos movimentos nacionalistas - pretende "convencer o presidente, através de uma mobilização popular e pacífica, de que se inicie o diálogo", afirmou o presidente do separatista Conselho Executivo da ilha, Gilles Simeoni.

Os líderes nacionalistas corsos - que obtiveram em dezembro passado uma grande vitória nas eleições legislativas locais - têm como objetivo em curto prazo uma maior autonomia, principalmente porque a ilha depende das verbas estatais.

Eles querem avançar em suas três principais reivindicações: anistia para os prisioneiros políticos, oficialidade da língua corsa e um estatuto especial de residente para combater a especulação imobiliária.

Durante décadas a Córcega esteve mergulhada na violência, com mais de 4.500 atentados reivindicados pelos militantes da Frente de Libertação Nacional da Córcega (FLNC). Sua decisão, em 2014, de entregar as armas devolveu a calma à ilha.

A opinião pública desta ilha de 330.000 habitantes, que vive do turismo e depende em grande parte dos subsídios do Estado, é, em sua maioria, contra a independência.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade